Fado em Festa assinala 63 anos do Mercado da Vila

O Mercado de Cascais foi um dos pioneiros na reabilitação do espaço para outros fins além da mera compra de produtos frescos. No dia 8 de agosto, o aniversário é celebrado com nomes grandes do Fado. A oferta musical prolonga-se durante o verão, todas as quintas-feiras à noite.

Vicente da Câmara, Teresa Tapadas ou António Pinto Basto são alguns dos fadistas que atuam no Fado em Festa, um grande espetáculo promovido pela autarquia no próximo sábado, 8 de agosto, às 22h00, para comemorar o 63º aniversário do Mercado da Vila. José da Câmara, Carolina, José Gonzalez, Fábia Rebordão e Filipa Cardoso completam o cartaz. A entrada é gratuita.

Nesse dia será reinaugurado o recinto que ganhou novas funcionalidades após obras de requalificação. As comemorações prosseguem domingo, 9 de agosto, com animação infantil às 11h e a transmissão em direto da Supertaça Cândido de Oliveira, a partir das 20h45.

A música vai permanecer no Mercado da Vila durante todo o verão: todas as quintas – feiras, às 21h00, há música ao vivo com entrada livre.

Com uma variedade de oferta de serviços e infraestruturas renovadas, o Mercado da Vila apresenta-se hoje aos visitantes com uma nova dinâmica, juntando tradição e modernidade, com melhores condições de trabalho para os vendedores e a atribuição de novas funcionalidades para usufruto do público.

Atualmente, os clientes do Mercado da Vila não frequentam o espaço apenas para se abastecerem de frutas, legumes e peixe fresco, mas também para assistirem a espetáculos ao vivo, visitar as feiras temáticas que se realizam uma vez por mês, desfrutar da oferta gastronómica nos restaurantes e esplanadas que servem o recinto, conviver com os amigos e passar bom momentos em família, com programas de animação que também incluem os mais jovens.
Desde a sua inauguração, há 62 anos, que o Mercado da Vila constitui um espaço privilegiado de comércio e ponto de encontro dos cascalenses, tendo recentemente beneficiado de uma renovação que lhe conferiu a sintonia perfeita entre a tradição e a modernidade. Impunham-se grandes desafios: requalificar, reorganizar, não tocar na traça original da infraestrutura, manter a tradição do mercado saloio e da feira do levante, garantir o lugar de cada vendedor e responder às exigências da modernidade do ponto de vista do desenvolvimento económico para as próximas décadas.

As novas lojas e os espaços de restauração são já uma referência na oferta gastronómica. Há um total de49 lojas distribuídas por quatro espaços de restauração, espetáculos, mercados temáticos e um parque de estacionamento de 400 lugares. As lojas partilham uma esplanada comum com capacidade para 200 pessoas. As quartas e sábados de manhã mantêm-se como os dias do mercado saloio, com venda de hortícolas e frutícolas de frescura garantida, alguns de produção própria dos 60 vendedores que o dinamizam. Também às quartas-feiras continua a realizar-se a feira de levante promovida por 96 vendedores de roupa, sapatos e outros artigos, vendidos por fiéis feirantes que ali exercem a sua atividade há décadas. O pavilhão do peixe funciona de segunda a sábado, entre as 06h30 e as 15h00.

Comentários