Seis variações com café

Turco, al fresco, em jarro, expresso... Cada café tem os seus segredos. Aqui, revelamos alguns.

Café Turco - A maior dificuldade do café turco é encontrar a mistura certa. Utiliza-se o Ibrik, espécie de panelinha de cobre ou de latão com um cabo comprido e garganta estreita. Há de diversos tamanhos, com indicação do número de chávenas que serve.

Coloca-se no recipiente o café moído, o açúcar e a água. A infusão ferve e retira-se do lume.  

 

Café Al Fresco -  Simples de confecionar quando não se possui um jarro para servir ou quando a fonte de calor é o fogão. Qualquer mistura ou torrefação de café serve e prepara-se com 55 g de café para um litro de água.

- Deita-se água fria numa caçarola e põe-se ao lume;

- Mede-se a quantidade necessária de café;

- Quando a água ferver junta-se o café;

- Tira-se imediatamente a caçarola do lume, mexendo vigorosamente. Aguarda-se quatro minutos e côa-se.  

 

Café em jarro - Qualquer mistura ou torrefação serve e a moagem média e grossa aplica-se.

- Aquece-se o jarro, enchendo-o de água quente;

- Aquece-se mais água e deita-se para dentro do jarro;

- Deita-se fora a primeira água;

- Enxuga-se o jarro e deita-se café no fundo na proporção de 55 g para um litro de água;

- Deita-se água quase a ferver sobre o café;

- Mexe-se com uma colher de pau cerca de quatro minutos.  

 

Café por percolação - Este processo leva à fervura do café, produzindo uma infusão com um sabor algo amargo. Contudo, o aroma obtido por este método, inventado no século XIX, é inconfundivelmente agradável.

 

Café em balão - Através de um balão de vidro que se enche até meio com água. O café fica colocado no balão superior. Quando a água, abaixo, começa a ferver, retira-se a lamparina e o café escoa para o recipiente inferior.

 

Café expresso - O termo expresso vem do italiano espresso, que significa "colocar sob pressão". A água a ferver e o vapor impregnam o café, moído muito fino. Entre as máquinas de café expresso há as operadas por pistão (exigem alguma experiência) e as eléctricas.

Preparar um café expresso:

- Seleciona-se um café próprio para expresso;

- Faz-se a moagem do grão que deve ser fina. A quantidade necessária ronda as duas colheres e meia por chávena;

- Ao acondicionar o pó no recipiente não deve fazer nem pouca pressão (para que água não o atravesse rapidamente), nem demasiada (impedirá que a água se infiltre).

Um bom café é aquele que sai, inicialmente, negro e, de seguida, cremoso. Quando sai o creme deve desligar-se a máquina, pois o restante café será aguado e amargo.

artigo do parceiro:

Comentários