Resoluções vínicas para 2015

Beber uma casta diferente todos os meses. Experimentar todos os vinhos do mesmo enólogo. Estas são apenas duas das decisões de ano novo da sommelier Teresa Gomes. Ficam as dicas para um 2015 recheado de bons vinhos.

Bom ano para si! Que tal essas resoluções para 2015? Já deixou de fumar? Já se inscreveu num ginásio?

A minha principal resolução para 2015 é beber bons vinhos! E com isto não quero dizer que tenha de beber sempre os mesmos vinhos topos de gama, apenas vinhos com 100 pontos, as mesmas regiões ou marcas, afinal “ano novo, vida nova”… e porque não uma garrafeira renovada?

Aqui ficam algumas das minhas resoluções vínicas para 2015 para tentar fugir do óbvio e “beber fora da caixa”, acredite, às vezes não é fácil. Se quiser junte-se a mim, julgo que estabeleci resoluções práticas que qualquer Wine Lover conseguirá cumprir, tal como eu. Vamos a isso?

Cada mês do ano vou experimentar uma casta diferente, já este mês, porque é Inverno e está frio vou começar com uma tinta, a Baga, casta intimamente ligada à região da Bairrada. Vou também beber um topo de gama da casta que menos gosto… lamento mas por razões profissionais não fica bem publicar aqui qual é a tal casta. Vamos ver se mudo de opinião e até passo a gostar da dita cuja.

A resolução mais audaciosa: pretendo provar ao longo do ano de 2015 todos os vinhos feitos pelo mesmo Enólogo, desde o vinho gama de entrada (até 2,00 euros) ao topo de gama, passando pelos Brancos, Rosés, Tintos, Reservas e se tiver Espumante Natural ou vinhos Generosos, também. Se por acaso fizer vinho em várias regiões… eu faço o sacrifício e bebo! O difícil mesmo, vai ser escolher o Enólogo. Sugestões?!

Preciso urgentemente de reorganizar a minha garrafeira, dos próximos meses não vai (pode) passar. Se você ainda não tem uma, porque não toma como resolução de ano novo a criação de uma garrafeira? De um simples armário para vinhos, fácil e rápido, basta quando o receber, de ligar à corrente eléctrica, à conversão de uma divisão aí em casa em cave de vinhos, mais moroso, mas também muito mais apaixonante, arregace as mangas e meta mãos à obra!

Para essa mesma garrafeira já tomei algumas resoluções, vou comprar uma caixa de um vinho que me é querido e deixar envelhecer para beber quando tiver 50 anos.

Pois eu não disse, mas uma das qualidades que devemos ter é a da paciência, porque estarmos rodeados de tão bom vinho em casa e não o poder/dever bebe-lo, acredite, por vezes não é fácil. Por isso na garrafeira deve haver um equilíbrio entre os vinhos a beber já, e os vinhos para guarda. Logo a outra resolução é começar a recheá-la com vinhos Brancos para o próximo Verão (contamos contigo São Pedro, não nos desiludas!)

Bem, quando reler este texto daqui a um ano espero ter cumprido uma percentagem razoável das resoluções, mas afinal o que é o inicio do ano, senão aquele momento em que aspiramos a fazer mais, melhor e ir mais longe, queremos aprender algo novo, apaixonarmos e sermos felizes e uma garrafa de vinho pode fazer a diferença.

Teresa Gomes

(Sommelier OUT OF THE BOTTLE)

vinhos

artigo do parceiro:

Comentários