Quinta do Pôpa sugere dupla de vinhos

Porque a vida é feita de momentos especiais como o Dia dos Namorados, nada melhor do que celebrá-los em grande.

Para consumir num almoço ou jantar a dois ou para oferecer à sua cara-metade, o produtor duriense Quinta do Pôpa sugere uma dupla de vinhos aos quais não vai ficar indiferente: ‘Pôpa Vinho Doce tinto 2011’ para ela e ‘Pôpa VV tinto 2008’ para ele.

São dois vinhos com personalidades bem distintas, mas, como no amor, há algo que os une: são ambos tintos e feitos a partir de um blend de 21 castas tintas de vinhas com mais de 60 anos, plantadas nos socalcos do Alto Douro Vinhateiro, em Adorigo, Tabuaço, e classificadas com letra “A” (melhor classificação).

O ‘Pôpa Vinho Doce tinto 2011’ é um vinho muito jovem e com baixo teor alcoólico (10% vol.), sendo uma excelente proposta para beber como aperitivo, apreciar ao final da tarde, ou como complemento de uma conversa depois de um bom jantar.

O ‘Pôpa VV tinto 2008’ é como o nome indica um tinto de vinhas velhas, consideradas por muitos como as que dão origem aos vinhos de excelência, ainda mais quando pisadas em lagares de granito e estagiadas em barricas, como foi o caso. Robert Parker, o mais influente crítico de vinhos do mundo, e Tom Cannavan, jornalista e crítico britânico, foram consensuais na avaliação a este néctar, tendo-lhe atribuído 93 pontos (numa escala de 0 a 100). Este que é o topo de gama da Quinta do Pôpa foi considerado pela Revista de Vinhos como um dos vinhos do Douro que mais se destacou em 2011, com uma pontuação de 17,5.

PVP recomendados: Pôpa Vinho Doce tinto 2011: € 14,50 | Pôpa VV tinto 2008: € 22,00

artigo do parceiro:

Comentários