Chegou Agosto: Qual o melhor vinho para casamentos?

No serviço de vinhos para casamentos, não deve pensar somente na quantidade de convidados, mas também em outros detalhes que parecem pequenos, mas que poderão fazer uma grande diferença.

Mas não se preocupe, estamos aqui para  ajudar!

As cerimónias de casamentos estão cada vez mais personalizadas. Sejam tradicionais, simples ou glamourosas, quem vai casar pode sempre procurar formas de tornar “o grande dia”  ainda mais especial e inesquecível. Preparámos algumas dicas para ajudar na escolha e serviço dos vinhos, desde os vinhos para o copo-de-água até aos vinhos para o grande brinde.

A maioria dos buffets já oferece pacotes pré-definidos que inclui vinhos, as bebidas não alcoólicas como a água, sumos e refrigerantes, ficando sob a responsabilidade dos noivos a escolha das bebidas certas para harmonizar o grande dia. Pretende-se que as bebidas harmonizem com vários aspetos da festa, desde o horário, o local, os pratos que serão servidos, enfim nada fácil…

A estação do ano também influencia muito na escolha das bebidas. Neste período de calor, a melhor escolha são vinhos frescos e leves.

Os vinhos na temperatura certa:
Quando falamos de temperaturas, não há o que discutir. Existem regras que determinam a temperatura de serviço adequada para cada tipo de vinho. Vamos lá: os espumantes devem ser servidos até 9ºC, os brancos até 12ºC e os tintos até 16ºC. Pode conferir tudo no artigo da Teresa Gomes Temperaturas de serviço dos vinhos no Verão… ou quando está calor!”.

Para evitar que o vinho aqueça no copo, aconselho a moderação na quantidade servida, esta regra vale não só para evitar o desperdício de vinho, mas também para melhorar o aproveitamento da bebida. O recomendado é servir os espumantes até a metade do copo e os vinhos tranquilos, sejam brancos ou tintos, um pouco abaixo da metade.

Tipos de copos:
Por mais que o organizador do buffet já se encarregue disso, é bom também preocupar-se com este assunto para que possa com os seus convidados desfrutar dos vinhos escolhidos. O tipo de copo em que o vinho será servido é importante para ressaltar seus aromas e sabores, tais como são oferecidos pela bebida.

E quando tratamos dos borbulhas da festa, estes merecem estar também à altura!

As flûtes são mais finas e longas, e todo esse formato elegante preserva o perlage (as bolhas) do espumante e direciona os aromas diretamente para o nariz. E não se esqueça de escolher um substituto do champanhe ou espumante para as crianças na hora do brinde.

Que vinhos servir no banquete:

Conforme já referimos, entre vinho e comida deve existir uma harmonia. Para pratos há base de peixes, aves e molho branco, cremes e verduras, a melhor opção são os brancos, espumantes e rosés, sem esquecer aquela regra “frescos e leves!”. O QUINTA DA ALORNA VERDELHO BRANCO 2013 é tudo isso, um vinho da responsabilidade da enóloga Marta Simões, de aroma `limonado`, com fruta tropical presente, predominando o maracujá. Na boca, a acidez equilibra com o corpo redondo, com alguma complexidade, mas o conjunto é muito elegante, fresco e persistente. Sob a máxima de “frescos e leves” poderá jogar entre as várias opções e selecionar desde os vinhos para o copo-de-água até aos primeiros pratos.

As carnes vermelhas, gratinados, molhos de tomate e caça, vão melhor com vinhos tintos. Pense sempre na intensidade do prato no que diz respeito à gordura e opte por vinhos com mais taninos à medida que o nível de untuosidade for crescendo. O PERA DOCE Reserva Tinto 2012, é um alentejano que respeita a regra inicial e é muito versátil devido ao seu aroma onde se combina o fruto de qualidade com o baunilhado da madeira. Sedoso e envolvente na boca, devido aos taninos maduros e finos, o final revela-se longo e estruturado. Produzido a partir das castas Trincadeira, Aragonez e Syrah, o enólogo António Ventura quis que este vinho fosse um vinho que se bebe de forma despreocupada, de agrado geral e, portanto, um vinho que é uma...pera doce...

O trunfo em Portugal são os espumantes! Temos espumantes que se comparam aos internacionais champanhes, com a diferença de oferecermos um ótimo custo-benefício! Se apostar nos nacionais, terá na sua festa um excelente espumante, sem fugir do seu orçamento. Escolhi o Espumante VINHA D´ERVIDEIRA Bruto, produzido com as castas Perrum e Antão Vaz. Produzido no Alentejo, região de clima quente, apresenta notas de fruta tropical, complexadas. Na boca é macio, persistente, citrino, apresentando uma bolha fina que desaparece de uma forma suave. Perfeito para o brinde aos noivos! Tchim, Tchim!

José Faria
(Sommelier OUT OF THE BOTTLE)

artigo do parceiro:

Comentários