Carne sem pecados

Rica em sabor e prestando-se a inúmeros usos culinários, a carne, desde que seja garantida a qualidade da origem e consumida com moderação, ocupa um lugar importante numa dieta alimentar.

Quais as vantagens da carne?
Alguns nutricionistas recomendam o não consumo da carne de vaca para evitar problemas de coração ou para perder peso.

Outros, por seu turno, defendem os benefícios desta carne. Afinal, é uma das mais importantes fontes de proteínas, vitaminas e minerais, principalmente ferro, zinco e selénio, que intervêm na construção e consistência dos músculos e esqueleto em todas as etapas da vida do ser humano.

Também a carne de porco tem os seus prós e contras. É verdade que pode transmitir doenças, como a ténia, mas isso só acontece quando é mal cozinhada. Tem a vantagem de ser uma carne magra, se forem retirados todos os pedaços de gordura. À semelhança da carne de vaca, a carne de porco contém boas doses de ferro e de zinco, vitamina B12 e proteínas.

Quem deve comer carne vermelha?
As grávidas - Devido ao alto nível de ferro que necessitam durante a gestação.

As crianças e adolescentes - Porque influência o crescimento intelectual e físico.

Os atletas - Porque ajuda a obter os melhores desempenhos, promove o bom funcionamento das hormonas e ajuda a prevenir doenças.

Os idosos - Porque garante o consumo de proteínas de qualidade.

Para quem precisa de perder uns quilos - A inclusão de carne vermelha na ementa causa mais rapidamente saciedade.

O que são as proteínas?
As proteínas são nutrientes indispensáveis à construção e manutenção do organismo. O corpo humano armazena relativamente poucas proteínas, que são “armazenadas” nos músculos.
As proteínas desempenham um papel fundamental na construção dos órgãos, podendo ser usadas como “combustível” em caso de carência alimentar. Intervêm no crescimento, reprodução, nutrição e na imunidade do organismo. Estão omnipresentes nas trocas intercelulares.

De que são feitas as proteínas?
Existem milhões de proteínas diferentes na Natureza, mas todas elas são constituídas pela mesma cadeia de elementos: os aminoácidos.
Existem apenas 20 aminoácidos diferentes, a partir dos quais o nosso corpo elabora milhares de combinações para fabricar proteínas diferentes. Mas, de entre esses 20 aminoácidos, há 8 que não podem ser fabricados pelo organismo humano – são os chamados aminoácidos essenciais. A única forma de os assimilar é através da alimentação.

Se bem que existam proteínas de origem animal e de origem vegetal, só as primeiras conseguem transportar, em quantidades suficientes, todos os aminoácidos essenciais que o organismo necessita.

Que cuidados devo ter na preparação da carne?
- Antes de começar a cozinha e sempre que mudar de tarefa, lave sempre bem as mãos; 

- Não utilize a mesma faca nem a mesma banca/tábua de trabalho para cortar carne e outros alimentos, nem misture carne crua e cozinhada; 

- Todos os alimentos devem ser conservados a uma temperatura inferior a 4ºC antes da confeção; 

- Não descongele a carne com muita antecedência ao momento da confeção. 24 horas é o tempo geralmente necessário para retirar a carne do congelador e pô-la no frigorífico. A descongelação deve estar totalmente concluída antes de cozinhar os alimentos; 

- Se tiver pressa, pode descongelar a carne em água fria corrente, dentro de um saco de plástico transparente e fechado. Também a pode descongelar no micro-ondas, desde que a confecione imediatamente a seguir;

- Caso pretenda fazer um prato com carne picada, assegure-se que ela é picada à sua frente. Não compre carne picada já embalada. Legalmente é proibido e é um dos meios mais propícios à contaminação bacteriana. Também não deve congelar carne picada. Em todo o caso, nunca congele alimentos já descongelados;

- Todos os alimentos de origem animal devem ser muito bem cozinhados, de forma a que o centro do alimento atinja os 85ºC. Por isso, evite cozinhar peças de carne demasiado grandes, já que o calor dificilmente lá chega;

- Para aproveitar sobras de carne, tome em atenção que as sobras só podem ser aproveitadas uma vez. Uma forma de guardar as sobras de carne já cozinhadas é cortá-las, tão cedo quanto possível, em pedaços mais pequenos e proceder à sua congelação.

 

artigo do parceiro:

Comentários