As diversas utilizações das ervas

Agora que a primavera começa a despontar, aproveite ao máximo os aromas das pequenas folhas verdes comestíveis como salsa, coentros e hortelã.

Muitas vezes compramos um grande ramo de ervas aromáticas para uma receita e não o utilizamos na totalidade. Deixamos algumas sugestões para evitar o desperdício e dar mais sabor à sua vida.

Chás – As infusões herbais são bastante digestivas e dão uma sensação de saciedade. Camomila, lúcia-lima, tomilho limão, erva cidreira, erva príncipe e  hortelã são algumas das plantas que crescem bem no território português.  Quando estão frescas, resultam em bebidas plenas de sabor; mas secas também são muito agradáveis. Para secar, pendure as ervas pelo pé, num local seco e protegido da luz direta.

Molhos – Juntar um pouco de azeite às ervas aromáticas e deixá-las desenvolver o seu perfume é uma verdadeira experiência alquímica. Acrescente um pouco de sal e pimenta ou mostarda, vinagre ou sumo de limão, e mesmo maionese ou vinho, para diferentes resultados. O segredo: agitar os ingredientes numa misturadora para um resultado mais homogéneo.

Manteiga de ervas – Pique finamente a salsa, coentros ou outras ervas e misture com manteiga amolecida. A manteiga deve ser sem sal porque o aroma das ervas será suficiente como tempero. Mexa bem e leve ao frigorífico para endurecer.

Ramos de cheiros – Junte as folhas de várias aromáticas que sobraram de outros cozinhados e dê um novo perfume aos seus temperos de carne ou peixe.

Pestos – O tradicional molho italiano de mangericão e pinhões também pode ser feito com alternativas: salsa, rúcula ou hortelã nas ervas, amendoins como fruto seco e queijo de cabra seco em vez de parmesão. Um fio de azeite e umas pedras de sal completam a receita.

artigo do parceiro:

Comentários