Tullamore: a história de um whiskey

Uma das diferenças entre o whiskey irlandês e o whisky escocês está na tripla destilação. Mas há outros segredos a descobrir nesta bebida secular, agora que a Tullamore inaugura a sua nova destilaria, bem no centro da Irlanda.

Luís Garcia, fundador do Single Malt Whisky Club, aconselha o Tullamore D.E.W. como aperitivo, para beber descontraidamente antes do jantar, simples ou com um pouco de água. “É mais leve do que o whisky escocês, ligeiro na boca, mais doce e floral”, adianta o especialista, que considera este whiskey “mais apropriado aos dias de hoje”.

Essa leveza deve-se à tripla destilação a que é submetido, condensando ao máximo os álcoois naturais de uma mistura de cevada maltada e não maltada. O envelhecimento em cascos de carvalho num período mínimo de três anos é outra condição para que o whiskey adquira a sua característica cor de âmbar.

O visionário Daniel Edmond Williams ficou para sempre com as suas iniciais gravadas no rótulo da garrafa de Tullamore: DEW. Trabalhava na destilaria desde os seus 14 anos e, aos 26, já era um dos diretores-gerais. A sua paixão pelo trabalho e pela cidade fez com que levasse estradas, automóveis e eletricidade à sua terra natal, enquanto fazia do whiskey Tullamore uma marca de referência.

O whiskey de cevada já era produzido na Irlanda desde o séc. XIII, sendo a bebida mais consumida, a seguir ao rum, no reinado de Isabel I. Apesar do progresso e da fama alcançados nos séc. XIX/XX, os impostos altos, as guerras e a Lei Seca nos EUA, seu principal importador, iriam provocar, em 1954, o encerramento da fábrica em Tullamore – mas não o desaparecimento da marca, que continuou a ser produzida em destilarias de Dublin e Cork. Entretanto, a utilização deste whiskey no famoso Irish Coffee manteve a popularidade da bebida.

No século XXI as exportações começaram a subir, sendo o whiskey irlandês o segmento mais vendido (um impressionante crescimento de 220% nos últimos 10 anos) dentro das chamadas bebidas espirituosas. A procura, especialmente nos mercados emergentes, faz com que as Reservas de 10, 12 ou mais anos se tornem verdadeiras raridades. Para

Assim, em setembro de 2014, já integrado na Grant’s, William & Sons, o Tullamore D.E.W. regressa às origens e à cidade que lhe deu o nome. Sessenta anos depois de fechar, a destilaria reabre as portas com visitas guiadas, bar, restaurante e loja de brindes.

Em Portugal, onde é distribuído pela Prime Drinks, uma garrafa de Tullamore de 70 ml tem o preço recomendado de €13,99.

artigo do parceiro:

Comentários