Radiofrequência unipolar regenerativa para eles

Homens também podem beneficiar das vantagens desta técnica que nutre e revitaliza a epiderme, além de minimizar rugas, manchas e cicatrizes. Saiba como funciona.

Eles estão a recorrer mais à adiofrequência unipolar regenerativa. A aplicação da hipertermia por radiofrequência em eletrocosmética tem um efeito vasodilatador que ativa a circulação do sangue na zona, nutrindo e revitalizando a pele. Utilizada com êxito em tratamentos de cútis, de flacidez facial e de remodelação de glúteos e ventre, também nos homens, o seu efeito refirmante tem, no entanto, tido aplicação destacada nos seios. 

Tem-se também revelado eficaz na redução da celulite, em tratamentos de pósliposucção e na eliminação de rugas e cicatrizes, com resultados visíveis logo na primeira sessão. O método Indiba, um dos que utiliza a radiofrequência unipolar regenerativa, resulta da transformação de uma energia fria de radiofrequência em temperatura interna em que cada célula do tecido capta parte dessa energia e a transforma em temperatura que vai do interior para o exterior.

Não é o elétrodo que aquece a pele mas, sim, a pele que aquece o elétrodo. Neste sistema, um dos vários aparelhos disponíveis no mercado, a função de transferência elétrica capacitiva com elétrodos isolados (TEC) associa-se no mesmo aparelho a transferência elétrica resistiva com elétrodos de aço inoxidável (TER). A utilização de ambos os métodos, tanto a nível facial como corporal, melhora consideravelmente os benefícios dos tratamentos.

Fá-lo sobretudo a nível corporal especialmente em problemas de celulite profunda e quando existe grande flacidez como é o caso depois de uma liposução ou de um pós-parto. O efeito regenerador do sistema é muito benéfico para manter uma pele jovem, capaz de revitalizar a sua atividade celular, intervindo positivamente na sua evolução e paliando os efeitos devidos ao passar do tempo.

Os tratamentos em que a técnica pode ser aplicada

Com aplicações em rosto e corpo, este novo sistema de radiofrequência unipolar, mediante a elevação local da temperatura interna, tem uma grande eficácia, segurança e rapidez numa ampla gama de tratamentos de beleza e estética. A nível corporal, pode ser aplicada em tratamentos anti-celulíticos, em situações de adiposidades localizadas generalizadas, na refirmação dos seios e na refirmação abdominal, de pernas e glúteos.

Outras situações em que a radiofrequência unipolar regenerativa pode ser um recurso incluem situações de pré e pós-cirurgia e pós-parto. A eliminação de estrias ou cicatrizes recentes ou antigas, muitas consequência da prática desportiva e das brincadeiras de criança e da adolescência, é outra das aplicações. A nível facial, tem efeito de lifting, diminui as rugas, contorna o oval do rosto e melhora o aspeto e a textura da pele.

As vantagens de métodos como o Indiba não se ficam, contudo, por aqui, uma vez que este também diminui as bolsas sob os olhos, melhora visivelmente as manchas, reduz o duplo queixo, cicatriza e regula o acne e alivia as rosáceas e couperose. Apesar das mulheres continuarem a ser as que, em maior número, recorrem a esta técnica, o número de homens que e submete a este tipo de tratamentos aumentou nos últimos anos.

Neles, a sua aplicabilidade tem-se revelado, sobretudo, ao nível da ativação da circulação, da revitalização e da tonoficação da pele e do tratamento de gordura localizada e celulite, com maior incidência na zona da coxa, na dos abdominais e do abdómen no geral, principalmente nas zonas posterior, lateral e do baixo ventre.

Além dessas, as restantes solicitações masculinas prendem-se com a regeneração pós cirúrgica e o tratamento de flacidez, a tonificação muscular e o tratamento de problemas musculares, nomeadamente distensões, muito relacionados com o exercício físico e treinos de hipertrofia. Em Portugal, os tratamentos com recurso a esta técnica e tecnologia já estão disponíveis há vários anos. Apesar de não existirem dados oficiais, estima-se que a maior procura continua a ser feminina.

artigo do parceiro:

Comentários