Exiba uma barriga que deixe as mulheres todas loucas

Lipoaspiração ou abdominoplastia? Saiba qual é a cirurgia estética mais indicada para o seu caso e livre-se do excesso de gordura abdominal... já!

Erradamente apelidada de curva da felicidade, a gordura abdominal nos homens não está relacionada com o seu bem-estar mas, sim, com factores  hormonais intrínsecos ao género masculino. Assim, enquanto as mulheres  normalmente acumulam mais gordura nas ancas, glúteos e barriga, os homens  tendem a acumular tecido adiposo principalmente no interior do abdómen, porque a testosterona produz uma multiplicação de células adiposas nesta zona.

Estas são as soluções cirúrgicas a que pode recorrer para resolver o problema de excesso de gordura abdominal:

- Lipoaspiração

Nuno Ramos, cirurgião plástico, aponta esta cirurgia, que nunca custa menos de 2.500 €, como a mais indicada para  eliminar gordura localizada na região do abdómen. «É uma técnica cirúrgica menos invasiva, logo, menos agressiva e com menos complicações do que a abdominoplastia. Além disso, garante resultados eficazes tanto na redução do volume como na definição do contorno abdominal », garante o especialista.

No entanto, «nos casos em que há excesso cutâneo ou em que a lipoaspiração não é suficiente, a opção cirúrgica deve ser a abdominoplastia», refere. Para a concretizar, «são feitos dois pequenos orifícios com cerca de 2 mm (ao nível do umbigo e da zona púbica), através das quais se introduz uma cânula conectada a um sistema de aspiração, que elimina a gordura em excesso», explica o cirurgião plástico.

O pós-operatório não é dos mais complicados. Uma ou duas semanas após a cirurgia, os pacientes podem regressar à rotina habitual, devendo apenas usar uma cinta compressiva, durante o primeiro mês. Quanto a resultados, em pouco tempo, notará diferença no volume e na forma. No entanto, os  resultados mais evidentes são perceptíveis alguns meses depois, quando a  retenção de líquidos e a inflamação diminuírem.

- Abdominoplastia

Permite retirar o excesso de gordura e/ou pele existente e corrigir a flacidez  muscular. Para Nuno Ramos «é a opção cirúrgica mais eficaz na definição da  parede muscular». Por vezes, é necessário aliar a lipoaspiração à abdominoplastia, «uma vez que a obesidade abdominal masculina se localiza,  frequentemente, na região supra-umbilical». Para a concretizar, é feita uma incisão na linha de demarcação dos pelos púbicos e o descolamento  da parede abdominal para que possam ser feitas as correções.

Pode ser feita com anestesia geral ou epidural e o internamento dura um a dois dias. No período pós-operatório, aconselha-se a utilização de uma cinta compressiva no abdómen que proporciona maior conforto e permite reduzir o inchaço. «Os resultados são imediatos: o abdómen fica mais definido e liso» mas «o resultado final só é visível ao fim de dois meses. Na maioria dos casos, a cicatriz fica imperceptível ao fim de seis meses», esclarece o especialista. Esta intervenção tem um custo médio de 4.500 €.

Veja na página seguinte: Hábitos (alimentares) prejudiciais

Comentários