Acessórios para homem 100% portugueses

Descubra as marcas de acessórios portuguesas que podem fazer parte do seu quotidiano

Os acessórios são uma das áreas da indústria da moda que mais tem crescido em Portugal e não é uma área exclusivamente feminina. Assim sendo e pensando no lado masculino mostramos algumas das marcas que pode usar que são totalmente portuguesas e que talvez até desconheça:

Citadin - A Citadin é uma marca de sapatos para o homem moderno europeu. A marca foi lançada em abril de 2014 por uma mãe e dois filhos com o intuito de oferecer sapatos modernos e de boa qualidade, a um preço razoável e de forma acessível porque acreditamos que sapatos de qualidade não tem que ser uma peça de luxo. 100% made in Portugal, com o selo de garantia do Norte do país!

Boo - Travar a destruição do delicado eco-sistema do nosso planeta, e o desejo de nos tornarmos mais “verdes” não é apenas mais um tema de conversa . Na Boo, essa é a missão. Usando não só o melhor, mas também um dos materiais mais abundantes e, naturalmente renováveis e sustentáveis do mundo, o Bambu, transformam-no em elegantes e modernos óculos de sol, combinando a necessidade de estilo com a paixão pelo meio ambiente.

Rutz - A Rutz nasce de uma paixão pelo calçado, aliada a uma vontade de fazer mais e de inovar, unindo dois produtos base da economia portuguesa: calçado e cortiça. Distingue-se, no entanto, pelo design e pela cor; pela paixão pelos sapatos enquanto peças de arte urbana. O nome remete-nos para as roots, as nossas raízes, origens e tradições portuguesas, que serão o mote de inspiração para as diversas coleções. Por outro lado, o nome mostra-nos as routes, as rotas ou caminhos que traçamos rumo a um futuro melhor: a escolha do material, eco-friendly, a preocupação com a leveza e conforto.

Sanjo - A Sanjo, que ditou moda nacional por mais de quatro décadas, aparece agora reinventada, com novos modelos e cores. Produzida em 1948 na Fábrica de Artefactos de Borracha da Empresa Industrial de Chapelaria (EIC), a Sanjo foi referência de qualidade e prestígio e reflexo do contexto político, cultural, social e económico do país. Com o fecho da EIC em 1996 perde-se grande parte das evidências históricas da marca. O interesse empresarial pela Sanjo reaparece em 2009 com a reinvenção do modelo original da bota K-100 e, em 2010, a sua autenticidade é consolidada com o relançamento da marca.

Comentários