Deram a moda das barbas como acabada há dois anos mas enganaram-se

Foram muitos a dizer que estava out mas poucos a ouvir e a ir a correr cortá-la. O Dia Mundial da Barba comemora-se todos os anos no primeiro sábado de setembro. Este ano, celebra-se hoje, a 2.

«Desculpem, rapazes, mas as barbas estão ultrapassadas», escreveu, no início de julho de 2015, David Yi, editor de moda e especialista em estilo e tendências do projeto editorial Mashable. A frase materializava aquilo que, em surdina, muitos bloguers, fashionistas, style advisers e influencers vinham vaticinando há já algum tempo, decretando oficialmente o fim da tendência do rosto coberto de pelos e iniciando uma nova era.

«O que até há pouco tempo era visto como o derradeiro símbolo do cool e do estilo, começa agora a ser visto como antiquado e fora de moda», escreveu o influenciador digital. «Essa moda acabou», assegurava também o modelo, bloguer e escritor Joel Alexander, que ficou conhecido pela farfalhuda barba que chegou a exibir nas redes sociais. Na altura, já se tinha antecipado e já tinha cortado a dele.

Não podiam estar mais errados. Não só 70% dos homens deixou de fazer a barba diariamente, como revela um estudo, como basta andar na rua para o comprovar, nos looks e na quantidade de barbearias abertas. Nas redes sociais são muitos os perfis que fazem a apologia dos homens com pelos no rosto, como é o caso do Bearded Life Style, no Instagram, que só publica fotografias de homens barbudos, com 250.000 seguidores.

Texto: Luis Batista Gonçalves

artigo do parceiro:

Comentários