A maquilhagem está a mudar com as "selfies"

Devido às "selfies" retiradas por Kim Kardashian, os iluminadores já registaram um aumento de 48% em vendas. É caso para dizer que as marcas precisam de tornar os seus produtos aptos para as luzes dos smartphones

Após a geração X,Y e Z, muito se tem falado sobre a nova geração chamada de "selfie". Isto trata-se de uma brincadeira, mas a verdade é que nunca se esteve tão interessado na própria pessoa como agora e isto acaba por refletir-se em todos os pontos da nossa vida, até mesmo na beleza.

Com isto em mente, a geração smartphone veio para ficar,  e fez com que cada vez mais as marcas de maquilhagem tenham em consideração fazerem produtos que reajam bem a um jogo de luzes.

Muitas marcas já tem produtos que oferecem acabamentos especializados para funcionarem bem nas fotografias, mas só agora é que estas começaram a criar produtos específicos para reagirem às câmaras dos telemóveis. Quer sejam bases que não fiquem pálidas com o flash ou cores mais frias que façam os dentes tornarem-se mais brancos.

A forma como estes funcionam nas "selfies" afeta de forma radical a sua venda e posto isto a BBC referiu que as vendas de maquilhagem para o rosto e olhos, teve um lucro de 500 milhões de euros nos primeiros 8 meses deste ano, mais 14% do que no ano passado.

O mercado de beleza, hoje em dia, depende das selfies para ver os seus produtos esgotar, assim como, para criar tendências e impulsionar as vendas de produtos específicos.

Enquanto as estrelas do instagram, como é o caso de Kim Kardashian, continuarem com esta moda, as empresas de maquilhagem só tem a ganhar.

artigo do parceiro:

Comentários