1ª Conferência Nacional sobre Beleza - O século XXI trouxe diversidade para os ideais de beleza

Conscientes da falta de debate sobre o tema e da sua responsabilidade enquanto marcas de renome no universo da beleza, a Vichy, marca de dermocosmética de referência e a revista Máxima juntaram-se para promover a 1ª Conferência Nacional sobre Beleza

Aqui estiveram reunidos diferentes oradores e convidados das áreas da moda, da beleza, da medicina e da cultura para debater o Ideal de Beleza feminino em pleno século XXI.

A atriz Fernanda Serrano, em conjunto com a maquilhadora Cristina Gomes, a ex-modelo Yolanda Noivo, o dermatologista Miguel Trincheiras, o realizador Vicente Alves do Ó e a historiadora Dalila Rodrigues, reforçaram que a beleza não é algo fútil, mas sim um reflexo do nosso bem-estar e saúde.

Outra das reflexões centrais deste debate foi a convicção unânime de que, apesar de a história ser rica em ideais de beleza, o século XXI trouxe a diversidade e a liberdade, que romperam com os ideais e padrões até então tão marcantes e característicos das diferentes épocas da história mundial. Existirão, atualmente, diversos ideais de beleza?

“Antigamente conseguíamos identificar na História ideais de beleza muito precisos: se por exemplo na Antiguidade Clássica tínhamos um cânone de beleza, uma beleza quase matemática, assente nas proporções do corpo que tinha de ser perfeito, na Idade Média a beleza assume contornos espirituais, surgindo a imagem da virgem, pura e bela, por oposição a Eva, símbolo de pecado.”, refere Dalila Rodrigues, historiadora. Mas a globalização abriu as portas a múltiplas culturas, tendências, estilos e estéticas, tornando impossível padronizar e circunscrever um único ideal de beleza. “Existem múltiplos ideais, tantos quanto o número de pessoas e a sua capacidade de imaginação e interpretação.”, refere Vicente Alves do Ó, realizador.

Comentários