Malhas texturadas e tweed

Usam-se imenso estação após estação. Aquecem o corpo e conferem volumetria aos visuais. Saiba como escolher as peças certas para arrasar nos dias de frio

Se, no que se refere às cores, o destaque habitual, a par das que marcam a tendência, vai para o preto e o vermelho, no que diz respeito às tendências para os tecidos, as grandes revelações das últimas temporadas têm sido o tweed e o twill. «Nos materiais, a aposta passa pelos micro padrões e construções tradicionais masculinas para tweed e twill», afirmou o estilista José António Tenente à Saber Viver na altura em que estes materiais começaram a surgir em força, em finais da década de 2000. Também para Ana Salazar, «os pesados tweed» são uma referência da temporada.

Do leve ao pesado

Se, quando pensa em inverno, apenas lhe vêm à cabeça tecidos pesados, como a fazenda e o feltro, vai ficar surpreendida. Uma das maiores apostas dos criadores para as estações mais frias passa também por materiais leves que conferem elegância ao seu guarda-roupa. «Sofisticadas mousselines de seda com motivos geométricos estampados ou em relevo de veludo» são regularmente uma tendência forte da coleção do estilista português. O mesmo foi revelado nalguma das peças concebidas por Ana Salazar, onde «os materiais variam das leves organzas com rendas de lã, aos pesados tweeds, passando por falsos couros, leopardos e veludos».

O poder das malhas

À parte dos momentos mais formais e sofisticados, não se esqueça de investir nas malhas. Quando o frio aparece sem pedir licença, não hesite e agasalhe-se. «Malhas texturadas» são uma das apostas de José António Tenente, que as usa pelo menos desde a reta final da década de 2000. Num estilo folk, Andrea Schaeffer, consultora de imagem, sugere o uso de «camisolas largas de lã como uma excelente alternativa para os pesados casacos de inverno».

Texto: Raquel Pires com Ana Salazar (estilista) e José António Tenente (estilista) e Andréa Schaeffer (consultora de imagem)
Foto: Sisley

artigo do parceiro:

Comentários