Rejuvenescimento da pálpebra

Blefaroplastia – a cirurgia estética que rejuvenesce a pálpebra e o olhar.

Blefarocalásia é o termo técnico para definir o envelhecimento dos tecidos das pálpebras que sofrem um relaxamento. O seu efeito traduz-se em excesso de pele, bolsas ou rugas, que afectam o olhar. A cirurgia plástica ocular surge aqui como uma solução para estes problemas estéticos e funcionais.

No processo de envelhecimento facial, todas as estruturas da pele, tecidos sub cutâneos, músculos e ligamentos seguem uma evolução paralela, Toda a região pálpebral cuja função principal é de protecção ao globo ocular e de todo o aparelho de visão.

Formada por uma estrutura anatómica complexa constituída por múltiplos e pequenos músculos, estruturas ligamentares muito delicadas, tecido subcutâneo ricamente irrigado e enervado. Não temos dúvidas que tendo como base esta matéria-prima para trabalhar, o cirurgião plástico tem que reconhecer a dificuldade da cirurgia em si, de modo a torná-la tão natural quanto possível, sem qualquer dano adi¬cional.

Com o envelhecimento, a região orbitária sofre as seguintes alterações anatómicas:

1. Diminuição progressiva da fenda pálpebral devido à blefarocalásia e ao aparecimento de gorduras intra-orbitárias que se tornam salientes a partir dos 40 anos.
2. Rugas pálpebrais finas que se detectam a partir dos 30 anos causadas pela acção do músculo orbicular das pálpebras.
3. Queda das porções latero-externas das pálpebras com redução da fenda pálpebral. Os factores que contribuem para este efeito são: a blefarocalásia, a hérnia de gor¬dura intra-orbitária e ptose da região supracilial.

A blefarocalásia é uma alteração da pálpebra em que ocorre atrofia, atonia e pregueamento da pele das pálpebras, trazendo consequências mais ou menos graves tanto funcionais como estéticas.

Esta alteração pálpebral pode estar associada ou não à herneação da gordura intra-orbitária e, é óbvio que, além do efeito estético extremamente desagradável, o peso condicionado pelo excesso de pele e pelas bolsas gordurosas, constituem um obstáculo mecânico com redução dos campos visuais.

Do diagnóstico ao sucesso da cirurgia
O planeamento cirúrgico depois do estudo anatómico detalhado é da maior importância na cirurgia estética das pálpebras e condição indispensável para evitar os erros cirúrgicos tão frequentes neste tipo de cirurgias. No sentido de minimizar estes erros devem ser considerados os seguintes factores:

Saiba mais na próxima página

● Avaliação do paciente do ponto de vista cosmético, funcional e psicológico, de forma a determinar se a cirurgia está ou não indicada.

● Diagnóstico prévio dos pontos de envelhecimento da região óculo-pálpebral.

● O respeito pelas estruturas anatómicas e da sua fisiologia, preservando as funções da pálpebra (encerramento e lubrificação).

● Actuar sempre de forma o mais conservadora possível.

Uma vez realizado o diagnóstico e planeamento correcto, o terceiro passo será escolher a técnica cirúrgica mais apropriada.

1º Caso
Se o que domina é a queda do supracilio com o rebordo orbitário ósseo procidente, um lifting frontal completo resolve a situação sem se tocar nas pálpebras.

2° Caso
Se temos umas bolsas pálpebrais procedentes com grande excesso de pele na pálpebra superior, uma blefaroplastia externa na pálpebra superior para recepção de pele e uma blefaroplastia transconjuntival para ressecar a gordura herniada por via interna, sem cicatriz, serão suficientes.

3° Caso
No caso de um paciente jovem com bolsas herniadas inferiores que se traduzem por um olhar continuamente cansado, com grandes olheiras, uma blefaroplastia transconjunctival inferior a laser deve resolver a situação.

4° Caso
Para pacientes com mais idade (por exemplo, cerca de 70 anos), com um olhar bastante pesado, é indicada uma blefaroplastia superior e inferior para corrigir pele e as bolsas.

Como se verifica, a blefarocalásia não é, apenas, um problema estético mas também funcional e por isso deve, em tempo certo, ser corrigida. De sublinhar ainda a importância do diagnóstico, pois trata-se de um factor determinante para o sucesso da cirurgia que pretende sublimar o olhar.

Agradecimentos: José de Mendia, especialista em cirurgia plástica pelo serviço do Dr. Ivo Pitanguy – Brasil, sub-especializado em plástica ocular

artigo do parceiro:

Comentários