Quer uns lábios de sonho? As dicas de uma cirurgiã plástica para cada idade

Os lábios são um icon de beleza e um símbolo de sensualidade. São o espelho das emoções e cativam o olhar. Os conselhos da cirurgiã plástica Ana Silva Guerra.

Com a idade os lábios vão perdendo volume, brilho e vão ganhando pequenas rugas. Dispomos hoje de uma multiplicidade de tratamentos não invasivos capazes de melhorar e travar este processo inevitável. Que tratamentos podem ser considerados nos diferentes escalões etários?

Aos 20 anos: Volumizar e corrigir assimetrias são os principais desígnios destas jovens. Com o Ácido Hialurónico é possível tudo isso, sem prejuízo de um resultado natural.

Aos 30 anos: Surgem os primeiros sinais da perda de colagénio e elastina e evidenciam-se as primeiras pequenas rugas. Tabaco, exposição solar exagerada no passado contribuem para estas alterações. Uma vez mais o Ácido Hialurónico é o tratamento de eleição.

A naturalidade e a harmonia são a chave para um resultado excelente. Este tratamento deve ser realizado apenas por médicos experientes e qualificados. Todos conhecemos onde podem conduzir o exagero ou a inexperiência: resultados disformes e desproporcionados.

Aos 40 anos: Restaurar a aparência e o equilíbrio que se começa a perder é o principal objetivo depois dos 40. As rugas de expressão estão mais pronunciadas, as finas rugas aumentaram de tamanho e muitas vezes nem permitem uma maquilhagem em condições. Está na altura de volumizar, corrigir e preencher as pequenas rugas, levantar os cantos dos lábios e hidratá-los.

Aos 50 anos: As alterações que ocorrem por todo o rosto agravam ainda mais a aparência dos lábios. A perda de elasticidade e a queda dos tecidos que afeta todo o terço médio da face pode alargar o espaço entre o nariz e o lábio. Os contornos do lábio superior ficam atenuados e a espessura de ambos os lábios é cada vez menor.

As técnicas variam mas apoiam-se sempre no uso de fillers, toxina botulínica em casos muito específicos e em pequenas correções cirúrgicas que podem restituir a distancia normal perdida, entre o nariz e o lábio. A utilização da própria gordura, em quantidades muito precisas e controladas também pode conduzir a resultados extraordinários.

Depois dos 60 anos: Restaurar o volume, redefinir o contorno e harmonizar o lábio e a face são os objetivos principais. É importante relembrar que só médicos experientes e habilitados podem conduzir a resultados naturais e adequados à individualidade de cada um. Demasiado volume quer no lábio quer no rosto só contribui para a perda das características particulares de cada um, e não é isso que se pretende.

Os tratamentos não invasivos para o lábio, desde que realizados por médicos habilitados, são seguros, praticamente isentos de complicações e perfeitamente confortáveis. A taxa de satisfação é altíssima.

Por Ana Silva Guerra, Médica e Cirurgiã plástica

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários