Perda de elasticidade cutânea

É um dos sinais da passagem dos anos. Saiba como combater os primeiros sinais que diminuem a firmeza da pele, um problema que afeta milhares de mulheres em todo o mundo.

A perda de elasticidade, um problema muito comum, começa a ser mais notória a partir dos 30 anos. Nesta fase, a regeneração celular abranda, começando lentamente o envelhecimento natural e a perda de qualidade cutânea. Para além disso, o contorno corporal pode alterar-se por fatores como mudanças hormonais e/ou oscilações de peso, mas também devido a situações de obesidade, de gravidez ou até de falta de descanso.

Para atuar sobre estas mudanças, que afetam cada vez mais mulheres, não deve prescindir de usar um hidratante corporal diariamente e alterná-lo com produtos que tonifiquem e refirmem. Deve procurar princípios ativos que melhorem o tónus da pele, fortaleçam as fibras de sustentação e estimulem a renovação celular. Alguns tratamentos existentes no mercado poderão complementar o seu esforço para se manter bela.

É o caso da mesoterapia, um tratamento que combate a celulite e a gordura localizada e que consiste na injeção intra-dérmica (através de micro-agulhas) de ingredientes ativos. O objetivo é estimular a libertação de gordura, favorecer a microcirculação e a drenagem linfática das toxinas acumuladas. Também já existem equipamentos sem agulhas, que atuam por iontoforese, penetrando na pele através de laser e ondas elétricas.

artigo do parceiro:

Comentários