Pele oleosa e desregulada

A sua é assim? Veja como acabar com o brilho excessivo, os pontos negros e os poros dilatados, um problema do foro dermatológico que afeta muitas mulheres portuguesas

Muitas mulheres em Portugal exibem uma epiderme que, por vezes, denuncia este problema dermatológico. A pele oleosa tem uma textura mais espessa e revela excesso de oleosidade. Está associada a desregulação na produção do sebo, mas está melhor protegida contra as agressões exteriores e tem menos tendência para o aparecimento de rugas. O excesso de sebo torna a pele mais brilhante, dilata os poros e a sua oxidação provoca pontos negros e borbulhas.

Para prevenir e combater este problema, deve limpar a pele de manhã e à noite com um gel e usar um creme oil-free. Dependendo do grau de oleosidade, a pele pode ou não necessitar de ser hidratada. Segundo Miguel Trincheiras, dermatologista, «em consulta de dermatologia pode ser alvo de realização de peelings queratolíticos (glicólico e salicílico) com eventual abertura prévia de comedões com laser de CO2 em modo superpulsado, assim como da prescrição de medicação para a redução de produção sebácea.»

Quando deve ir ao dermatologista

Segundo Miguel Trincheiras, deverá consultar um especialista «sempre que a oleosidade excessiva se tornar incomodativa ou se associar lesões cutâneas passíveis de deixarem cicatrizes». Use um tónico depois de limpar a pele antes da aplicação de um «creme de tipo suspensão de óleo em água, como na acne, e com partículas anti-brilho (matificantes) e eventualmente retinoides tópicos»,  recomenda ainda Miguel Trincheiras.

Texto: Rita Caetano com Miguel Trincheiras (dermatologista)

artigo do parceiro:

Comentários