Pele à prova de idade

Como enfrentar as mudanças que afetam os tecidos da epiderme

Já sabemos que, quando a menopausa chega, a nossa pele muda. Mas como podemos preservar a juventude por mais tempo? Uma pergunta para a qual muitas mulheres querem respostas.

Perda de firmeza, pele tendencialmente mais seca, aumento das rugas, perda de volume e alteração do contorno do rosto são alguns dos efeitos da menopausa na pele, decorrentes de alterações hormonais.

Apesar de estas alterações serem graduais, nesta etapa da vida feminina o aspeto e qualidade da pele inevitavelmente mudam, tornando-a, também, menos resistente aos efeitos do sol e do tabaco. A solução, tanto em termos de prevenção como de contra-ataque, passa por adotar hábitos de vida saudáveis e complementá-los com tratamentos dermatológicos realizados em consultório.

David Serra, dermatologista, explicou à Prevenir exatamente o que acontece na pele a partir da menopausa e quais as melhores estratégias e tratamentos para contrariar os efeitos da passagem do tempo a nível cutâneo. Veja os cuidados que deve ter para superar os problemas que possam surgir.

Que alterações ocorrem na pele a partir da menopausa?

A epiderme e a derme ficam mais finas, a proliferação celular abranda, a renovação de colagénio, elastina e ácido hialurónico torna-se mais lenta, conduzindo à perda de elasticidade e firmeza, contribuindo para a flacidez e rugas estáticas. Por outro lado, os mecanismos de reparação celular e tecidual vão perdendo a sua eficácia e os efeitos da exposição solar tornam-se mais difíceis de contrariar. Adicionalmente, há perda de volume na face, redistribuição da gordura subcutânea e remodelação óssea, com alteração progressiva do contorno tridimensional do rosto.

Quais os problemas mais comuns às peles maduras?

As alterações mais frequentes nas peles maduras estão relacionadas com manchas, sobretudo em peles claras e/ou com exposição solar significativa ao longo da vida, mas também flacidez (frequentemente mais prematura em pessoas magras) e rugas, tendencialmente mais evidentes nas pessoas muito expressivas, fumadoras e/ou com hábitos de exposição solar.

Que fatores mais contribuem para o envelhecimento cutâneo e como podem ser evitados?

O sol, sobretudo num país como o nosso. Importa, por isso, referir que o impacto da exposição solar diária é cumulativo, ou seja, vai-se agravando de forma continuada. A adoção de bons hábitos de fotoproteção é determinante para atenuar significativamente a progressão da dose cumulativa de ultravioletas.

Por outro lado, não usar protector solar, chapéu e óculos de sol, procurar o sol nas atividades ao ar livre, frequentar solários e a exposição solar na praia são hábitos que devem ser evitados, uma vez que contribuem largamente para o fotoenvelhecimento. Para além disso, também o tabagismo é o segundo grande fator modificável que influencia o envelhecimento cutâneo.

Que outros hábitos podem acelerar o envelhecimento da pele?

Hábitos alimentares. Dietas pouco diversificadas que privilegiam gorduras e hidratos de carbono e que são pobres em proteínas, vitaminas e minerais, consumo escasso de verduras e produtos frescos e regimes intermitentes com flutuações no peso corporal e no estado de saúde global. Também o stresse físico e emocional, bem como uma má higiene do sono, são relevantes. Sintomas de ansiedade, depressão e outras condições mentais podem também contribuir para o envelhecimento.

Quais as substâncias cosméticas mais indicadas para as peles maduras?

Os retinoides e os alfahidroxiácidos são úteis na prevenção e tratamento do fotoenvelhecimento, sendo mais eficazes para as alterações da epiderme como rugas finas, manchas superficiais e alterações da textura cutânea. Os compostos como o ácido lactobiónico, a gluconolactona e o ácido hialurónico são excelentes hidratantes.

Os antioxidantes, como a vitamina C ou o resveratrol, por sua vez, protegem das agressões do quotidiano, nomeadamente contra os radicais livres de oxigénio. Já os fitoestrogéneos são bons para compensar as alterações hormonais da menopausa.

E quais os tratamentos mais eficazes realizados em consultório?

Para as rugas de expressão, o melhor tratamento combina a toxina botulínica e o preenchimento com ácido hialurónico. Os peelings são úteis para as manchas e a tez baça, oferecendo um efeito antienvelhecimento preventivo, potenciando uma pele com aspeto mais jovem. Já os lasers têm diversas ações em função do equipamento. Os mais procurados são os vasculares e o laser CO2 fracionado.

De que forma atuam?

A toxina botulínica relaxa a mímica facial responsável pela formação da ruga e o ácido hialurónico devolve o volume e repõe o que está em falta na derme. Estes dois tratamentos são complementares e têm um efeito sinérgico, potenciando-se a eficácia e a duração dos efeitos alcançados.

Os peelings provocam uma esfoliação química que vai obrigar a uma renovação da camada superficial da pele e estimulam as células da derme (camada mais profunda), contribuindo para o tratamento de rugas finas. Os lasers têm diversas ações em função do equipamento mas atuam contra rídulas, manchas castanhas e flacidez.

Quantas sessões são necessárias?

No caso da toxina botulínica, o resultado é visível após uma semana e dura entre três a seis meses. No preenchimento com ácido hialurónico, os resultados são imediatos, mas o efeito é avaliado após uma a duas semanas, com benefícios que duram quase um ano. Os peelings de ácido glicólico têm um efeito gradual, sendo necessárias pelo menos três sessões com periodicidade mensal.

Os resultados prolongam-se durante vários meses e os benefícios são cumulativos. Os lasers têm um efeito demonstrado ao fim de poucos dias e prolongam-se durante vários anos, sendo necessárias várias sessões até se alcançar a melhoria pretendida. No laser vascular, a média é de duas a cinco sessões. O laser CO2 fracionado, implica, geralmente, menos sessões e mais espaçadas no tempo.

Quanto custa rejuvenescer?

David Serra, dermatologista, indica o preço, por sessão, dos tratamentos mais procurados em consultório:

- Toxina botulínica
Entre 250 e 350 euros, em função da área a tratar.

- Preenchimento com ácido hialurónico
A partir de 300 euros, mas o preço é muito variável em função da quantidade de produto utilizado.

- Peeling com ácido glicólico
Entre 100 e 150 euros, por sessão.

- Laser vascular
A partir de 150 euros, por sessão.

- Laser CO2 fracionado
Aproximadamente 500 euros por sessão, para o rosto completo.

Cosméticos e substâncias anti-idade

Privilegie estes ingredientes recomendados por David Serra, dermatologista, para combater os sinais de envelhecimento:

Manchas e rugas
-Retinoides
-Alfahidroxiácidos

Flacidez e secura
- Ácido lactobiónico
- Gluconolactona
- Ácido hialurónico

Agressões ambientais
- Vitamina C
- Resveratrol

Alterações hormonais
- Fitoestrogénios

Texto: Nelma Viana com David Serra (dermatologista)

artigo do parceiro:

Comentários