O desodorizante ideal

Saiba qual é o que se adequa mais a si e veja as substâncias a evitar

Transpirar é indispensável, mas pode ser muito desagradável. Encontre o equilíbrio. A transpiração tem um papel fundamental em situações de calor intenso.

O suor é um líquido incolor e de pH ácido, que se produz nas glândulas sudoríparas écrinas, constituído por 99 por cento de água. Contém também sais minerais, ureia, proteínas, lípidos e ferro. 

Ao evaporar assegura a regulação térmica do nosso corpo, garante a função barreira, mantém o pH da pele e a hidratação. «A produção de suor pode atingir 3 litros por hora, com perda por litro de 540 calorias, e se não for compensada envolve risco de vida», alerta José Campos Lopes, dermatologista. Saiba agora como tornar mais agradável, para a sua pele, esta função vital do nosso organismo.

Tipos de fórmulas

Apesar de, em si mesmo, o suor não ter cheiro, o seu «odor característico deve-se à ação de bactérias da pele e à decomposição de sebo e colesterol», explica José Campos Lopes. No mercado existem «desodorizantes, que reduzem a formação do mau cheiro através de uma ação antibacteriana, e antiperspirantes que reduzem a transpiração», explica o dermatologista.

Cuidados essenciais

Estes produtos podem criar algumas alergias, principalmente nas axilas, por isso convém fazer uma escolha criteriosa e aplicá-los apenas em pele sã, interrompendo a sua utilização se houver alguma reação alérgica. «Podem aparecer eczemas irritativos e eczemas de contacto alérgicos. Quando ocorrem, são imputados, em regra, a perfumes e à lanolina que integram a maior parte dos desodorizantes», explica o especialista.

Substâncias a evitar

Um dos produtos utilizados é o cloridrato de alumínio que produz um pH muito baixo e pode ser muito irritante. Como explica o dermatologista, «lesa as células epidérmicas, nomeadamente os canais excretores na sua porção terminal». «Nos Estados Unidos da América, por exemplo, a concentração máxima é de 15 por cento e é obrigatória a menção atenção, pode ser irritante», sublinha ainda.

Transpiração intensa

Transpira muito? Os casos de transpiração excessiva (hiperidrose) devem ser tratados sob orientação médica. «Existem vários tipos de tratamentos, como os medicamentos anticolinérgicos, que bloqueiam a produção de suor», explica. «A iontoforese, um aparelho emissor de ondas eléctricas responsáveis pela diminuição da secreção das glândulas que se adapta às mãos, aos pés e às axilas e, finalmente, a toxina botulínica», esclarece ainda o dermatologista.

«A toxina botulínica é considerada um tratamento rápido, seguro e eficaz», sublinha. A simpatectomia, uma cirurgia que consiste na interrupção da enervação simpática, «só deve ser feita se as opções menos invasivas não permitirem aliviar os sintomas», acrescenta. Sabia que ainda que «a relação entre o cancro da mama e a utilização de desodorizantes parece ser uma falsa questão», diz José Campos Lopes, dermatologista.

Texto: Raquel Amaral com José Campos Lopes (dermatologista)

artigo do parceiro:

Comentários