Hidratação reforçada

Os cuidados a ter com a epiderme depois dos períodos de maior exposição ao sol

A pele ressente-se mais no verão devido à influência do sol, da água e do cloro, entre outros fatores... Por isso, agora mais do que nunca, deve hidratá-la em profundidade.

Não há dia que passe, desde os meus 15 anos, em que não aplique hidratante dos pés à cabeça depois do duche. É um hábito que tenho mais do que entranhado e acho que me tem servido de muito.

Com a pele nutrida e hidratada tenho menos propensão para a secura e descamação, para a celulite, para os pelos encravados e para todas as maleitas que possam surgir no maior órgão do nosso corpo. E nada me tira da cabeça que este gesto é um dos meus melhores aliados na manutenção de uma pele acetinada, saudável e brilhante.

Curiosamente, tenho-me dado conta que a maioria das mulheres não o faz no dia a dia. As razões apontadas para não o fazerem são, sobretudo, a falta de tempo para aplicar e esperar que o creme seja absorvido antes de se vestirem, a preguiça para o fazerem ou o facto de não gostarem da sensação oleosa que alguns cuidados de corpo podem causar. Para mim, nenhum destes pontos serve de desculpa para negligenciar os cuidados corporais.

A hidratação é um ritual de beleza que não pode faltar na rotina diária. De nada serve exibir um rosto luminoso se a secura dos cotovelos ou a descamação das pernas delatarem a falta de cuidados noutras zonas. Especialmente no verão, a pele sofre mais do que nunca com os efeitos do sol, do cloro e da água salgada... E, muitas vezes, fica com um aspeto desidratado, razão pela qual deve extremar o seu cuidado nesta altura.

O melhor ritual

Em pleno verão, com as idas à praia e as constantes agressões à pele, o melhor mesmo é usar um after-sun específico e, depois, reforçar a hidratação com um cuidado comum. É a fórmula do sucesso para uma pele luminosa, dourada e acetinada. Para além de nutrirem a pele, os hidratantes corporais têm outros benefícios, como a sua revitalização e drenagem, uma vez que massajar certas zonas favorece a eliminação de toxinas.

Quando aplicar hidratante faça como eu e comece pelos pés, que costumam estar muito secos, suba até à barriga das pernas e continue até às coxas. Insista na barriga, sempre com movimentos circulares e não se esqueça das costas nem do peito. Acabe nos braços, começando pelas mãos e acabando nas axilas. Eu gosto de duplicar a dose nos cotovelos, nos joelhos, nas mãos, nos pés e nos ombros, as zonas mais secas e as que mais exponho nesta altura do ano.

Texturas para todos os gostos

Acabaram-se as desculpas! Dependendo do seu tipo de pele ou das suas preferências, pode escolher uma das várias opções que a cosmética oferece:

- Loção
É rapidamente absorvida, pelo que é indicada para quem tem falta de tempo. Não deixa a sensação de pele oleosa.

- Creme
Pode ser só hidratante ou ter algum benefício acrescido, como ser refirmante, anticelulítico, com cor...

- Manteiga
A mais conhecida é a de karité. É muito nutritiva, uma vez que retém a água, mas como é mais densa, é absorvida mais lentamente.

- Óleo
Nutre a pele, sobretudo, se estiver muito seca. O seu único inconveniente é a aplicação, já que pode sujar a roupa, caso a vista antes de ter sido completamente absorvido.

Pele (bem) preparada

Para aproveitar ao máximo os benefícios da hidratação, antes de aplicar os produtos, existem fatores que deve ter em conta:

- Esfoliação

Os esfoliantes corporais preparam a pele e fazem com que os cuidados posteriores sejam melhor absorvidos. Faça uma, no mínimo, uma vez por semana. No verão, opte por um esfoliante com grão fino para não agredir a pele exposta ao sol.

- Depois do duche

O melhor para a pele é tomar um duche curto com água morna e, se tiver coragem, acabe-o com água fria. Depois disso, e ainda com a pele ligeiramente húmida, aplique o hidratante corporal, uma vez que a água sela a hidratação, prolongando os seus efeitos durante várias horas.

- Duas vezes ao dia

Se conseguir, hidrate-se duas vezes ao dia. Faça-o preferencialmente de manhã e à noite, antes de se deitar. Mas, se só o fizer uma vez, é preferível fazê-lo depois do duche.

Texto: Madalena Alçada Baptista

artigo do parceiro:

Comentários