Farta das suas tatuagens?

As soluções da dermatologia e da cirurgia plástica para eliminar os efeitos inestéticos

Há cada vez mais mulheres a tatuar o corpo mas também está a crescer o número das que depois se arrependem desse gesto.

«Se esta a ponderar uma tatuagem para assinalar um acontecimento relevante, pense em algo menos evidente», aconselha a dermatologista Manuela Cochito. Os números internacionais fazem pensar e Portugal não é a exceção que tende a fazer a regra.

Segundo um estudo realizado nos EUA, «50 por cento das pessoas que fazem uma tatuagem arrependem-se e querem removê-la», sublinha. O sucesso do processo de eliminação depende do tipo de tatuagem. «As profissionais são feitas com recurso a agulhas que permitem que o pigmento fique todo à mesma profundidade mas o mesmo não acontece nas intervenções amadoras, o que dificulta a ação do laser e condiciona um resultado menos uniforme».

No caso das tatuagens cosméticas, que permitem delinear os olhos, sobrancelhas e/ou o contorno dos lábios, o processo de eliminação também pode ficar comprometido, já que «se utilizam outros tipos de pigmentos que podem não reagir ao laser», sendo necessário realizar um teste prévio.

No caso das tatuagens traumáticas, que resultam de acidentes, a remoção vai depender da substância que manchou a pele. Existem ainda tatuagens da mucosa oral (uma mancha preta provocada pelo uso da amálgama) que são elimináveis pelo laser.

A técnica de remoção

«A remoção de tatuagens é realizada com o laser Q-Switched Nd-Yag, um dispositivo que apenas pode ser usado por médicos. O laser atua sobre o pigmento, destruindo-o. Depois é removido naturalmente pelo organismo, através de células da pele derivadas dos leucócitos, os fagócitos. É um erro submeterse a outros tipos de lasers não específicos para destruir o pigmento da tatuagem pois acabam por danifi car a pele. As cicatrizes que podem resultar dessa opção tornam depois o tratamento mais complicado», sublinha a especialista.

Taxa de sucesso

Para a realização do tratamento, a pele é anestesiada localmente, tornando a dor suportável. A remoção da tatuagem pode ser «completa ou parcial, podendo deixar pequenas cicatrizes», explica a especialista. O procedimento tem uma taxa de eficácia de 75 a 80 por cento. «Geralmente nota-se uma sombra na pele», revela.

Para remover uma tatuagem, são necessárias, no mínimo, quatro sessões (desde 200 euros), mas tudo depende da profundidade a que se encontra o pigmento, do tipo de cor da tatuagem e da sua localização. «As tatuagens a preto são mais fáceis de remover e as localizadas nos braços e pés mais difíceis», explica a especialista.

Cuidados a ter

Antes da remoção da tatuagem, a pele não pode estar bronzeada, o que dificultaria a cicatrização, e, após o tratamento, não se pode apanhar sol durante, no mínimo, um mês. Geralmente, a zona não tem de estar coberta por um penso, mas os cuidados pós-operatórios dependem do protocolo escolhido pelo médico e da zona tratada.

Durante a cicatrização, não se devem usar tecidos sintéticos, nem apertados. Até a pele estar completamente recuperada, o paciente deve ser avaliado pelo médico de dois em dois meses.

Texto: Leonor Macedo com Manuela Cochito (dermatologista)

artigo do parceiro:

Comentários