Esfoliar

A arte de renovar a pele e as soluções a que pode recorrer para o fazer em casa

A esfoliação acelera a renovação celular, limpa a pele em profundidade e liberta-a de células mortas, deixando-a pronta para ser hidratada e nutrida.

É um ritual que deve fazer semanalmente. Se não permitir que a sua pele respire, não há hidratante que lhe valha! Daí a necessidade de limpar convenientemente a sua tez, de modo a remover todo esse tipo de impurezas.

Apesar da sua pele se renovar, normalmente, a cada 30 dias, em ciclos naturais coordenados, o processo pode abrandar e os poros obstruírem-se devido a problemas tão comuns como a menstruação, a transpiração, a gordura, as toxinas acumuladas, o stress, uma alimentação desequilibrada.

Por isso, há que esfoliá-la. Ajudá-la a eliminar as camadas superficiais, de forma a induzir uma renovação celular nas suas camadas mais profundas. As células multiplicam-se a partir de baixo e tendem a subir de novo à superfície, proporcionando uma pele limpa e luminosa, mais firme e, evidentemente, mais rejuvenescida.

Regra geral, convém fazer uma esfoliação, pelo menos, uma vez por semana, sem esquecer as costas que, apesar de estarem mais protegidas das agressões externas do que o resto do corpo, tendem a acumular impurezas, pontos negros e poros dilatados.

Os dois tipos de esfoliação:

- Física

A esfoliação física tem como missão polir e livrar a superfície cutânea de células mortas. É feita através de cosméticos que contêm polietileno ou sílex, responsáveis pela textura granulosa ou rugosa dos produtos. Este processo deve ser feito, pelo menos, uma vez por semana. Esta esfoliação pode ser realizada em casa ou num centro de estética, onde será sempre mais completa e profunda.

- Química

Na esfoliação química usam-se princípios activos de outra índole, que penetram na pele. O habitual é usar-se ácido glicólico, salicílico ou retinóico. Estes ingredientes chegam às camadas mais profundas da pele e, a partir daí, estimulam a regeneração celular. É importante ter atenção à composição e à lista de ingredientes de cada um dos produtos.

Uma vez que os cosméticos atuais são muito sofisticados, é possível encontrar ingredientes de esfoliação química em produtos de utilização doméstica. O que tem de ter em conta é a percentagem do princípio ativo. Nas esfoliações químicas, o ácido glicólico encontra-se nos 70 por cento e o salicílico entre os 20 e os 30 por cento.

As peles que precisam mais

Todas as peles precisam de ser esfoliadas. É certo que, dependendo da qualidade da pele, umas precisam dela com mais frequência do que outras. As peles oleosas têm maior tendência para obstruir os poros da pele e acumular impurezas sob a forma de borbulhas e pontos negros, tal como as peles acneicas. Estas são as que precisam de esfoliações mais frequentes. O mesmo acontece com as peles muito espessas.

É o caso, por exemplo, das peles que foram muito expostas ao sol. Porque, apesar de, com a idade, a pele ter tendência para se tornar mais fina, se tiver sido muito exposta ao sol, a camada da epiderme engrossa e marca mais as rugas. Nestes casos, uma esfoliação, para além de oxigenar a pele, ajuda a minimizar as rugas e a dar-lhe um aspeto mais jovem.

Já uma pele normal, deve manter um ritmo de esfoliações semanal, no mínimo, mesmo que seja superficial. Saiba ainda que as esfoliações só são desaconselhadas em peles extremamente sensíveis, já que os agentes esfoliantes podem agredir a camada superficial da pele, potenciando e agravando os seus problemas cutâneos.

A esfoliação indicada para cada tipo de pele:

- Pele oleosa
Precisa de ser esfoliada, pelo menos, duas vezes por semana. Para além disso, a cada 15 dias ou três semanas, pode recorrer a ajuda profissional.

- Pele seca
Pode recorrer a um esfoliante suave uma vez por semana. Pelo menos uma vez por mês deve fazer uma esfoliação mais forte, à base de ingredientes químicos, num centro de estética.

- Pele mista
Use, uma vez por semana, um esfoliante para limpar a pele em profundidade. E outra vez por semana, pode optar por cremes hidratantes com propriedades esfoliantes.

Faça você mesma

Soluções caseiras a que pode recorrer:

- Junte, a uma noz do seu creme hidratante habitual, uma colher de açúcar mascavado. Esfregue no corpo com movimentos circulares.

- Se preferir, misture azeite com sal marinho grosso. Faça uma pasta e esfregue-a nas zonas que quiser esfoliar. Faça-o antes do banho.

- Experimente usar areia da praia. Leve para casa um pouco de areia da praia. Uma vez por semana, misture-a no seu gel de banho. Aplique a mistura sobre o corpo e enxagúe bem.

Manual de utilização

Idealmente, os esfoliantes devem ser aplicados e esfregados com a pele seca, uma vez que, assim, a capacidade de arrastamento de células mortas é maior. Massaja-se o esfoliante por todo o corpo durante alguns minutos e retira-se com uma toalha húmida ou com água morna. O resultado é uma pele absolutamente suave, sem impurezas, mas seca, porque o efeito de arrastamento também elimina a gordura natural que protege a pele.

Por isso, depois da esfoliação, é sempre necessário hidratar a pele em profundidade para a nutrir. Com uma vantagem significativa. Estes nutrientes atuam mais eficazmente se forem aplicados sobre uma pele livre de impurezas, potenciando o resultado final.

Texto: Madalena Alçada Baptista

artigo do parceiro:

Comentários