Electricidade que elimina as rugas

E se lhe disséssemos que o segredo de uma pele jovem está na electricidade?

A descoberta da electricidade como
força de vida nos seres vivos remonta
já a finais do século XVIII, quando o
anatomista Luigi Galvani realizou as
primeiras experiências e conseguiu
mover uma perna de rã através de uma
carga eléctrica externa.

Um século
mais tarde, Emil du Bois Reymond,
cientista alemão, mediu a corrente
eléctrica dos nervos e músculos.

Dava-se, assim, início à bioelectricidade,
um ramo da ciência que
permitiu importantes avanços
médicos. Estes conhecimentos estão na
génese de dispositivos médicos como
o electrocardiograma ou o pacemaker
ou da investigação da medicina
regenerativa. Chegou a vez da
cosmética transformar a energia numa
arma anti-idade.

Minibaterias para travar o avanço da idade

A bioelectricidade está presente em todas as células vivas e é
a energia que mantém o nosso organismo em funcionamento.
É através desse fluxo de energia que as células, de qualquer
parte do corpo, recebem a informação da missão que terão de
cumprir. A pequena concentração de iões a nível celular faz com
que cada célula funcione como uma pilha, cujo exterior é o pólo
negativo e o interior o pólo positivo.

Estudos em laboratório
demonstraram que, por exemplo ao nível da pele, esta relação
energética natural é posta em causa quando a pele sofre um
corte. Outras pesquisas revelaram ainda que o processo de sinalização
celular abranda com o avançar da idade, comprometendo
a capacidade de recuperação da pele.

Investigação com impulsos eléctricos

Há pouco tempo, Min Zhao, investigador e professor
na UC Davis (Califórnia), realizou um estudo
no qual usou impulsos eléctricos para direccionar
células, como os fibroblastos, para reparar tecidos
danificados. Com base neste tipo de descobertas,
laboratórios cosméticos dedicaram-se à investigação
de formas para aplicar este mecanismo
no combate ao envelhecimento cutâneo.

A ideia
consistia em mobilizar os fibroblastos, fomentar a
síntese das proteínas centrais para a juventude da
pele (colagénio e elastina) e reduzir a inflamação.
O resultado de oito anos de pesquisa culminou
numa nova abordagem cosmética, intitulada
Cytomimic e que consiste em imitar o mecanismo
natural da pele e estimular a bioelectricidade
em prol do rejuvenescimento cutâneo.

Acção conjunta entre um gel e uma pilha

A fórmula cosmética que resultou da tecnologia Cytomimic
está dividida em duas fases, um gel que alia zinco e cobre e
um creme hidratante. Segundo Jeannette Chantalat, investigadora
do Research & Development Johnson & Jonhson’s, «a
água que compõe o creme vai desencadear a carga eléctrica
no zinco e cobre, minerais condutores e essenciais para a
pele».

Assim, o gel age como uma pilha que deixa à superfície
da pele os iões necessários para a estimulação bioeléctrica
e o hidratante que, graças à água que contém, provoca
a reacção que transmitirá a electricidade em profundidade
para a pele. O objectivo é, desta forma, estimular as fibras de
colagénio e elastina e reforçar a regeneração natural cutânea.
Estima-se que o efeito electrizante se prolongue na pele
durante mais de 12 horas após a aplicação do creme.


Veja na página seguinte: As conclusões mais surpreendentes

Conclusões surpreendentes

As conclusões registadas nos vários estudos clínicos realizados
apontam para benefícios evidentes tanto a nível
das rugas, linhas do rosto e região ocular como na
elasticidade da pele e redução da pigmentação.

Este último benefício foi uma surpresa, revela a investigadora
Jeanette Chantalat, explicando que «nos estudos
pré-clínicos a fórmula mostrou que inibe a enzima responsável
pela transformação da melanina (a terosinase) e deixa a tez uniforme. Foi uma descoberta inesperada
e que requer mais investigação».

Até à data a pesquisa
incidiu principalmente nos efeitos rejuvenescedores
no rosto e no região ocular.

O que poderá mudar no futuro

Registada com dez patentes
pelos laboratórios Johnson
& Johnson’s e recentemente
lançada nos Estados Unidos
pela RoC, a tecnologia Cytomimic pretende marcar uma
nova Era nos cuidados cosméticos
anti-envelhecimento.
A gama destinar-se-á a
pessoas acima dos 35 anos e
incluirá três tratamentos distintos
para o rosto, nomeadamente um para o dia, outro para a noite
e outro contorno ocular. Existe em Portugal desde Outubro de 2010, sob
o nome Sublime Energy.

Texto: Manuela Vasconcelos

artigo do parceiro:

Comentários