Como escolher o perfume certo

Há tantos que a escolha torna-se difícil. Damos-lhe algumas dicas

Esta imagem decerto lhe é familiar. Encontra-se numa perfumaria e, em seu redor,
prateleiras e prateleiras repletas de perfumes.

Quando somos fiéis ao mesmo aroma há anos, é fácil, vamos direitas ao frasco já conhecido, sem hesitação de qualquer espécie.


Se queremos comprar um perfume novo, o caso muda de figura. Ou de prateleira! Lá começamos por experimentar um, depois outro e ainda mais outro e, de repente, já não conseguimos identificar nenhum odor. Para que se oriente neste caos organizado, damos-lhe algumas coordenadas.

A importância de gostar do cheiro

«O critério principal deve ser o facto de se
gostar do odor do perfume, uma vez que
este pode despertar emoções negativas
ou positivas», explicam Helena Margarida
Ribeiro e Maria do Rosário Bronze,
Professoras Doutoras da Faculdade de
Farmácia da Universidade de Lisboa. Nada a impede de ter mais de um
perfume, usando-os de acordo com a
ocasião (no trabalho, para ir jantar fora
ou sair à noite ou em férias) e, mais
importante ainda, em consonância com
o seu estado de espírito.

As fragrâncias mais adequadas a cada uma das horas

Geralmente, as fragrâncias mais
frescas como florais, lavandas e
cítricas são mais apropriadas para
usar durante o dia e em épocas
mais fortes. Já as fragrâncias mais
quentes e sofisticadas, como as
orientais e de especiarias jogam
melhor com as estações mais
frias e a noite.

As misturas que não deve fazer

Não experimente mais de dois perfumes em cada pulso. Aliás,
idealmente, espere algumas horas para cheirá-los. Para perceber porquê,
explicamos-lhe quais são os tipos de notas que constituem um perfume
e o papel de cada uma. As notas de saída são «a primeira sensação
que temos do perfume. São notas muito leves, voláteis e evaporam
até dez minutos depois da aplicação. Geralmente, tratam-se de notas
cítricas, verdes, alavandadas», descrevem Maria do Rosário Bronze e
Helena Margarida Ribeiro.

Já as notas de corpo são as «responsáveis
pela personalidade e sucesso da fragrância, demorando mais a
evaporar. Sentimos estas notas uma hora após a aplicação e duram até
quatro horas. Costumam ser notas herbais, frutais e de especiarias»,
acrescentam as especialistas. Finalmente, as notas de fundo são as
responsáveis pela fixação da fragrância, sentindo-se horas após a
aplicação. No geral, são amadeiradas, couro e musk.

Onde (não) aplicar

Os locais ideais para aplicação do perfume,
no dia-a-dia, correspondem às zonas onde
o fluxo sanguíneo é mais intenso. É o caso dos pulsos,
atrás das orelhas e nas dobras dos braços,
por exemplo. Também não esfregue o perfume
depois de aplicá-lo, a
fricção altera a fragrância
Os perfumes devem ser
guardados em locais onde
não ocorram variações de
temperatura e não haja
exposição à luz solar.


Veja na página seguinte: Alergias e outras reacções adversas

Alergias e outras reacções adversas

Esteja atenta aos sinais que
demonstram uma reacção
adversa a um perfume, nomeadamente pele
vermelha, irritada e comichão
na zona em que foi aplicado. Sabia que um perfume não
está em condições
de ser usado quando
o odor e a cor ficam
alterados?

«Como os
perfumes são produtos
cosméticos que
contêm fragrâncias e
excipientes voláteis, ou
seja, que se evaporam,
se os frascos não
ficarem bem tapados,
o perfume pode ficar
mais concentrado»,
descrevem ainda Helena
Margarida Ribeiro
e Maria do Rosário
Bronze.

Texto: Teresa d'Ornellas com Helena Margarida Ribeiro (professora doutora da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa) e Maria do Rosário Bronze (professora doutora da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa)

artigo do parceiro:

Comentários