Activos da Amazónia

Os produtos com activos da Amazónia estão em voga no ramo da cosmetologia.

As suas propriedades químicas e a crescente preocupação dos consumidores por produtos naturais fazem destes activos um grande potencial. Com 13% de toda a vida do planeta, o Brasil tem uma enorme riqueza na biodiversidade, que aos poucos começa a ser explorada.

Os números variam, mas estima-se que existam no território brasileiro entre 170 mil e 210 mil espécies já conhecidas de plantas, animais e microrganismos. Um verdadeiro potencial, capaz de fornecer alimentos, materiais para artesanato, para além de substâncias químicas, desenvolvidas durante milhares de séculos de evolução, aproveitáveis para as indústrias farmacêutica e cosmética.

É o sector dos cosméticos que mais investe na exploração da biodiversidade, principalmente no Brasil. Grandes empresas do mundo retiram das florestas do país uma variada gama de substâncias, como óleos essenciais, extractos, resinas, manteigas e argilas, que entram na composição de perfumes, sabonetes, cremes, champôs, condicionadores, loções, batons e outros produtos de maquilhagem.

É um mercado que está a crescer, em grande parte devido ao número cada vez maior de consumidores preocupados com a origem dos produtos que utilizam e com as questões ambientais.

As empresas de cosméticos que utilizam os activos da Amazónia, regra geral utilizam técnicas de gestão florestal que permite a preservação da biodiversidade brasileira, estimulando o desenvolvimento das comunidades locais, assegurando assim o rastreio das matérias-primas e a qualidade dos produtos.

Vamos conhecer alguns desses activos, cujos benefícios a nível de saúde e de beleza foram descobertos, primeiro, pelos índios.

Saiba mais na próxima página

Açaí

Açaí, do tupi: yasa’/, “fruta que chora”, isto é, que verte água. É encontrado em todo o estuário do rio Amazonas, mas a “terra do açaí” é a cidade de Codajás, no Estado do Amazonas, e o seu nome botânico é Euterpe Oleracea Mart.

O açaizeiro, a árvore do açaí, é uma palmeira estreita e elegante de 20 a 25m de altura, constituída por troncos múltiplos com até 25cm de diâmetro. Em cachos, os frutos têm coloração arroxeada e peso médio de 1g, os cachos contêm até 6kg de frutos. Produz sementes quase o ano inteiro.

Composição
O fruto é rico em vitamina B1, magnésio e ferro. Comparado com o leite de vaca, a polpa do açaí tem um valor energético 4 vezes maior, com 3 vezes mais lípidos, 7 vezes mais hidratos de carbono, 118 vezes mais ferro, 9 vezes mais vitamina B1, 8 vezes mais vitamina C, metade do teor de fósforo e o mesmo teor de proteínas e cálcio.

Propriedades
A fruta nativa da Amazónia, apreciada por surfistas e desportistas para repor as energias, tem inúmeras propriedades que actuam na prevenção do envelhecimento precoce, de doenças malignas e no controlo dos níveis de colesterol.

Na cosmética, o óleo de açaí pode ser usado em formulações de produtos anti-idade, pós-solares, cremes e loções revitalizantes por ser rica em ácidos gordos e essenciais; ómega 3, 6 e 9; fitosteróis; vitamina C e antioxidantes.

A Euterpe Oleracea, nome científico do açaí, possui quantidades extremamente elevadas de polifenóis ou antioxidantes chamados antocianidinas (compostos que apresentam acção semelhante à vitamina C), que se assemelham aos encontrados no vinho tinto.

Um estudo realizado pela Universidade Federal de Santa Catarina revela que o açaí é uma das frutas com maior poder no combate aos radicais livres, perdendo apenas para a acerola. Os componentes da fruta podem ajudar a manter mais saudáveis os neurónios, preservando a memória e o raciocínio.

Também actuam na prevenção da cegueira e das cataratas, na manutenção das artérias desobstruídas e na firmeza e elasticidade da pele.

Saiba mais na próxima página

Andiroba

A andirobeira possui médio a grande porte, com tronco recto que atinge 30 metros de altura e, frequentemente, apresenta raízes em forma de tábuas. Ocorre em toda a bacia Amazónica e prefere as várzeas nas margens dos rios, embora também seja encontrada em terra firme. O seu nome botânico é Carapa Guianensis Aubl.

É uma espécie de grande porte com casca espessa com altura que varia de 20 a 30m e o tronco com diâmetro de 50cm a 1,2m. As folhas são compridas, variando de 85cm a 1,15m. as flores são pequenas, creme, e os frutos, em forma de cápsula, contêm em geral 6 sementes. Floresce de Agosto a Outubro e produz frutos entre Janeiro e Maio.

Composição
É rica em vitamina F, ácidos gordos e linoleicos. Contém de 2 a 5% de limonóides, entre eles a andirobina e epoxiazadiradiona que através de estudos foi documentada com efeitos antitumorais. Possui também cerca de 18% de ácido mirístico que acelera a regeneração da pele.

Propriedades
A andirobeira é uma árvore de uso múltiplo, podendo ser aproveitada para óleo, casca medicinal e madeira. As sementes de andiroba fornecem um dos óleos medicinais mais utilizados na Amazónia.

A casca tem um sabor amargo muito forte, é utilizada na eliminação de vermes intestinais e na diminuição da temperatura corporal. Utilizada na pele para a regeneração do tecido epitelial e para aliviar e acalmar dores devido à inflamação. As folhas frescas são utilizadas na cicatrização de feridas e no alívio de dores em contusões.

Actuam no combate a vermes e diminuição da temperatura nos casos de febre. As sementes têm acção purgativa. Com propriedades emolientes e suavizantes, o óleo de andiroba deixa a pele macia e lisa. Age também nos casos de psoríase, assim como no crescimento descontrolado de manchas da idade.

Anti-séptico, cicatrizante, anti-inflamatório, actua na prevenção de celulite, combate a artrite, é eficaz em contusões e distensões musculares, age também como repelente natural de insectos. Como repelente de mosquitos, utiliza-se também o fumo da queima do bagaço do fruto.

Buriti

Entre as variadas espécies de palmeiras da Amazónia, o buriti – Mauritia Flexuosa Linn. – é das que apresentam mais elegantes e belos espécimes. O buritizeiro é uma das maiores palmeiras da Amazónia, possuindo de 30 a 50cm de diâmetro e de 20 a 35m de altura. Oferece um fruto nutritivo importante para as pessoas e animais da região.

O fruto é castanho-avermelhado, com superfície revestida por escamas brilhantes. A polpa é de um amarelo intenso, a semente oval é dura e a amêndoa é comestível. Cada planta costuma ter de 5 a 7 cachos com 400 a 500 frutos cada. A frutificação ocorre de Dezembro a Junho.

Composição
O buriti possui uma das maiores quantidades de caroteno ou vitamina A entre todas as plantas do mundo. Possui alta concentração de vitamina C.

Propriedades
Alivia a dor de queimaduras. Cicatrizante. Combate o colesterol e os radicais livres. É utilizado em cremes nutritivos e hidratantes para a pele. Champôs e condicionadores para os cabelos.

O óleo de polpa do fruto de buriti possui muitos usos para a indústria cosmética, também pode ser usado para fabricar protectores solares, pois absorve completamente as radiações de comprimento de onda entre 519 manómetros (cor verde) e 350 nanómetros (cor violeta), que são prejudiciais para a pele humana.

Saiba mais na próxima página

Castanha-do-pará

Bertholletia Excelsea Seed é o nome botânico do fruto da castanheira-do-pará, conhecida também por castanheirado- maranhão tocaria, tururicau. castanheira-verdadeira, castanheiro e castanheira-do-brasil.

A castanheira é uma árvore de grande porte, pode atingir 50 a 60m de altura e diâmetro de 2m na base. Tem um caule liso que se ramifica apenas na parte superior, casca escura. As folhas têm coloração verde-escura, são ondulantes e brilhantes. As flores são brancas amareladas, aromáticas que florescem de Novembro a Fevereiro. O fruto, chamado localmente de ouriço, pesa entre 500g e 1,5kg, contém 15 a 24 sementes (as castanhas).

Composição
O óleo é rico em ácidos gordos, fitoesteróis – sitosterol e amirina, para além de esqualeno – nutrientes essenciais nos processos bioquímicos de formação do tecido epitelial. Contém ainda: vitaminas A, B, C e E, minerais e oligoelementos.

O seu valor biológico é importante para fins alimentares, possui cerca de 17% de proteína – cinco vezes o conteúdo proteico do leite de vaca. Possui aminoácidos essenciais ao ser humano e teor de gordura muito alto, cerca de 67%. Pelo seu conteúdo em selénio, a castanha é antioxidante.

Propriedades
Utilizada em géis para massajar o corpo, gel após o duche, máscaras relaxantes, cremes hidratantes, sais de banho, etc. O óleo da castanha age sobre o tegumento cutâneo formando uma película ou um filme que impede a perda transepidérmica de água.

Os nutrientes essenciais contidos nos ácidos gordos insaturados têm grande actividade em processos fisiológicos e bioquímicos de formação do tecido epitelial. É eficaz na manutenção da textura da pele. O óleo também estimula a síntese de proteínas no organismo.

É utilizada como antioxidante no combate aos radicais livres para prevenir o envelhecimento cutâneo. Actua como hidratante da pele e ajuda a regenerar os cabelos danificados e desidratados.

Copaíba

Copaifera langsdorfi é uma árvore frondosa da família das leguminosas, de madeira avermelhada usada em marcenaria. Flores alvas com máculas róseas, reunidas em raminhos, sendo o fruto uma vagem drupácea que contém uma semente.

Produz um óleo medicinal espesso, viscoso, de tonalidade que vai do amarelo ao pardo.
É encontrada no Brasil em especial na região Amazónica. Trata-se de uma árvore de 10 a 15m de altura, com tronco de 50 a 80cm de diâmetro.

Composição
Na porção resinosa (55-60%; são encontrados o ácido copaíbico. ésteres e resinóides). A parte volátil da resina (40 a 55%) produz um óleo essencial que contém õ-cariofileno, õ-humuleno, õ-bisaboleno e sesquiterpeno.

Propriedades
Restabelece as funções das membranas mucosas, modificando as secreções e acelerando a cicatrização. Em doses pequenas é estimulante do apetite, com acção directa sobre o estômago. Possui propriedades anti-sépticas, topicamente ou internamente, age sobre as vias respiratórias e urinárias.

O óleo essencial é um excelente fixador de perfumes combinando as tradicionais notas florais. Na formulação de cremes e loções, age como emulsionante ou co-emulsionante de sistemas O/A. É utilizado também como auxiliar no tratamento da caspa e acne.

Saiba mais na próxima página

Cupuaçu

O cupuaçu é uma árvore de pequeno porte a médio que pertence à mesma família do Cacau e pode alcançar até 20 metros de altura. A fruta de cupuaçu foi uma fonte primária de alimentos na floresta Amazónica tanto para as populações indígenas quanto para os animais. Este fruto tornou-se conhecido pela sua polpa cremosa com sabor exótico.

As folhas vermelho-escuras prendem-se directamente ao tronco. O fruto é oval, com até 25cm de comprimento, de casca dura e lisa e cor castanho-escura, podendo pesar mais de 2kg. Apresenta polpa branca, ácida e aromática. Amadurece nos meses chuvosos, de Janeiro a Maio, com menos intensidade nos meses de Fevereiro e Abril.

Composição
O óleo de cupuaçu apresenta alta concentração de ácidos gordos de cadeia longa, tais como o oleico, o araquidónico e behénico, entre outros. Apresenta, também, fitosteróis. A casca do fruto apresenta concentrações significativas de potássio, ferro, manganês e outros nutrientes.

Propriedades
Apresenta propriedades hidratantes e nutritivas, tanto para os cabelos como para a pele. Feita a partir do caroço, a sua manteiga proporciona alívio para a dor de queimaduras e a sua acção hidratante é um excelente antídoto contra a secura da pele.

Das suas amêndoas, obtêm-se uma pasta semelhante à pasta com que se produz o chocolate e a manteiga de cacau, utilizada para cuidados cosméticos anticelulíticos e de emagrecimento.

Maracujá

Passiflora alata é o nome botânico desta fruta, que os indígenas utilizavam como medicamento valioso desde os tempos pré-colombianos. Conhecida por maracujá-mirim, maracujá-suspiro, maracujá-mamão, maracujá-melão, maracujá-do-igapó. Flor-da-paixão é originária da América tropical.

Dependendo da espécie, as folhas podem ser arredondadas ou profundamente partidas, com vários bordos cerrados. As flores são grandes, vistosas, de coloração que podem variar de branco-esverdeadas, alaranjadas, vermelhas ou arroxeadas, de acordo com a espécie. Floresce de Dezembro a Abril.

Os frutos são ovais, de coloração, dependendo da espécie, amarelada, alaranjada ou com manchas verde-claras. As sementes são achatadas, pretas, textura gelatinosa de coloração amarelada e translúcida. Frutifica durante o ano todo, com menor intensidade de Maio a Agosto

Composição
A polpa do fruto é rica em bioflavanóides antioxidantes, vitaminas A, B e C e sais minerais como ferro, cálcio, magnésio e fósforo.

Propriedades
As folhas têm actividade anti-inflamatória e cicatrizante. O fruto tem propriedades com acção sedativa, tranquilizante e antiespasmódica da musculatura. Diminui por instantes a pressão arterial e activa a respiração. Tem efeito analgésico. As folhas têm actividade anti-inflamatória e cicatrizante.

No passado, o sumo do fruto era prescrito por médicos no tratamento de irritações oculares. Na cosmética é utilizado devido às suas propriedades adstringentes, nutritivas e protectoras. É indicado para uso em produtos de cuidado capilar.

Saiba mais na próxima página

Murumuru

Astrocaryum murumuru é uma palmeira muito comum na bacia amazónica, cujos frutos são umas nozes piriformes que medem 5 a 6cm de comprimento, de cujas sementes se obtém cerca de 40% de gordura branca.

Palmeira espinhosa de 10m de altura, reconhecível à distância pelas suas grandes folhas de até 4m de comprimento, esbranquiçadas na face interior. Flores muito pequenas e amareladas. O fruto é um coco de coloração avermelhado, quando maduro. O seu caroço encerra uma amêndoa dura que fica envolta por uma polpa amarelada, comestível e levemente adocicada.

Composição
O óleo da semente é rico em ácidos gordos (láurico, mirístico e oleico).

Propriedades
A manteiga de murumuru proporciona brilho, hidratação e protecção aos cabelos.

Urucum

Bixa orellana é o nome científico desta árvore que também é conhecida como urucum, urucuzeiro, bixa, colorau, orucú, annato, entre outros. O urucum é uma árvore exuberante, tanto pela beleza das suas flores como pelos seus vistosos cachos de frutos.

As suas sementes são muito utilizadas pelos índios para tingir a pele e os cabelos. As suas folhas são em formato de coração, com a ponta afilada, glabras, alternadas e sustentadas por longos pecíolos. Os frutos encerram numerosas sementes pequenas e ricas em corante vermelho, conhecido como bixina.

Composição
As sementes do urucum contêm celulose, açúcares, óleo essencial, pigmentos, proteínas, alfa e betacarotenos e outros constituintes como vitaminas.

Propriedades
Propriedades antibiótica, hemostática, anti-inflamatória, antioxidante, antipirética, cicatrizante, depurativa, digestiva e expectorante. Está indicado para problemas respiratórios, cardiovasculares e digestivos, hemorróides, desinfecção de feridas e queimaduras na pele, febre e inflamações em geral.

Na cosmética, o óleo de annato é usado como corante natural em cremes, loções, produtos solares, ou como suporte em cremes protectores solares pelo seu conteúdo em carotenóides.

Texto: Stela Martins
Fotografia:© Photoroller - Fotolia.com
Agradecimentos: Liliana Vilas (Zeus Química); Beraca, Brasil

artigo do parceiro:

Comentários