Acabar com as manchas na pele não é uma missão impossível

O passar dos anos deixa marcas visíveis na epiderme. Duas leitoras da revista Ultimate Beauty submeteram-se a um tratamento estético de remoção e contam tudo.

À medida que o tempo vai avançando, é inevitável. O número de manchas na pele também vai aumentando. Duas leitoras concorreram a um passatempo da Ultimate Beauty e ganharam um tratamento anti-manchas oferecido pela revista em parceria com a Clínica Dermage, em Lisboa. Durante cinco meses estiveram aos cuidados da dermatologista Alexandra Osório e os resultados não deixam dúvidas.

É mesmo possível vencer a luta contra as manchas. Saiba porquê! Para Inês Belchior, 42 anos, o problema ia para além das manchas. «O que mais me incomodava na pele era os sinais e as manchas que eram muito grandes, principalmente no inverno, quando a pele fica mais clara e se vêem mais», critica. E, apesar do incómodo transitório causado por alguns tratamentos, não podia estar mais satisfeita com os resultados obtidos.

«Não esperava ficar com aquele aspeto depois do tratamento a laser. Fiquei com muitas crostas, o que dava um aspeto um pouco doente. Tinha que ter uma grande preocupação em pôr os cremes recomendados e muito protetor solar», revela. Mas o resultado final compensou. «As manchas estão menos escuras e a rosácea, mesmo sem maquilhagem, já não se nota », assegurava, no fim.

Por ser arquiteta paisagista, o seu trabalho constante no exterior fez com que a sua pele tenha estado exposta de uma forma excessiva ao sol, potenciando danos cutâneos. Segundo Alexandra Osório, a pele de Inês belchior, na altura com 38 anos, apresentava, em resultado dessa exposição excessiva, sinais de rosácea nas regiões malares e dorso do nariz, verrugas seborreicas e nevos dermoepidérmicos dispersos pelo rosto, ligeiros lentigos (sinais superficiais) e ainda pequenas hiperpigmentações.

O tratamento levado a cabo nesta paciente teve um custo total de 3.400 €, um valor pouco acessível à maioria das bolsas. Mas, no final, o balanço é francamente positivo, como reforça a especialista.«O objetivo proposto, eliminar as manchas e as discromias [alterações na coloração] do rosto fotoenvelhecido, foi atingido», assegura Alexandra Osório. Inês Belchior confirma. «Faria os tratamentos de novo», afirma mesmo.

O tratamento passo a passo

1. Com recurso a laser CO2, foram realizadas duas sessões para evaporação e eliminação das verrugas seborreicas, nevos e lentigos.

2. Com recurso a laser Neodimium-Yag, foram feitas quatro sessões para eliminar as telangiectasias faciais.

3. Seguiu-se o fotorejuvenescimento global de toda a face com a utilização de filtros para comprimentos de onda diferentes permitiu eliminar a rede vascular dérmica e estimular a produção de colagénio e de elastina.

4. Depois, foi feito um peeling Easy-TCA. Foram realizadas quatro sessões com o objetivo de lutar contra o fotoenvelhecimento, estimular a produção de neocolagénio e eliminar as hiperpigmentações superficiais, para obter uma pele hidratada, mais luminosa e rejuvenescida.

5. O tratamento terminou com várias limpezas de pele médicas com aplicação de máscaras despigmentantes e anti-aging.

Veja na página seguinte: Os tratamentos complementares que Inês Belchior fez em casa

Comentários