5 dúvidas sobre o botox esclarecidas por uma médica

A Toxina Botulínica tipo A, uma proteína altamente purificada que se extrai de uma bactéria, tem a capacidade de relaxar os músculos faciais, preservando a mímica facial, mas evitando forças exageradas que causem “danos” à superfície cutânea, protegendo a pele da aparecimento das rugas e sulcos. As explicações são da médica e cirurgiã plástica Ana Silva Guerra.
créditos: AFP

A formação de rugas e pregas e sulcos cutâneas é um componente normal e natural inerente ao processo de envelhecimento. À medida que nos aproximamos dos 30/40 anos, finas linhas, rugas e pregas vão começando progressivamente a instalar-se, sobretudo na face, o nosso principal meio de comunicação.

Inicialmente, estas pequenas alterações são mais evidentes com a mimica facial (rugas dinâmicas) e surgem quando nos rimos ou franzimos a testa, pois resultam da contração dos músculos faciais. As diferenças na cinética muscular (umas pessoas são mais expressivas que outras) traduzem-se na maior ou menor precocidade no aparecimento de rugas.

Com o passar do tempo, a contração repetida destes músculos por baixo da pele vai culminar no agravamento de todas estas alterações, e assim, instalam-se rugas profundas, pregas e sulcos que não já desaparecem com o relaxamento dos músculos, ou seja tornam-se permanentes.

Vou ficar com aparência alterada? Fico sem expressão?

O tratamento com a toxina botulínica tipo A não tem de ser, nem deve ser um fenómeno de “tudo ou nada”. Isto quer dizer que é possivel controlar a magnitude do relaxamento muscular e assim evitar a “paralisia” completa e o aspecto “artificial”. Geralmente o efeito pretendido é um “enfraquecimento” muscular que permite um resultado harmonioso e cosmeticamente agradável.

Como atua a Toxina?

O seu efeito farmacológico tem lugar ao nível da placa neuromuscular. Na região de transição entre o nervo periférico e o músculo ocorre a libertação da acetilcolina, um neurotransmissor necessário à contração muscular. A toxina atua de forma local, bloqueando a libertação da acetilcolina, produzindo um relaxamento temporário, que não acarreta nenhum dano físico às estruturas nervosas.

Onde se aplica a Toxina?

As regiões em que se recomenda o uso deste tratamento localizam-se no terço superior da face: rugas de expressão da testa, rugas entre as sobrancelhas e na parte lateral dos olhos. Existem estudos que avalizam a eficácia da toxina noutras zonas da face como nas rugas do queixo e as rugas em torno dos lábios na sua fase inicial.

Como se aplica?

A aplicação realiza-se com agulhas muito finas, diretamente no músculo hipercinético. Pode ocorrer pontualmente um pequeno hematoma no decurso da picada, que desaparece em poucos dias.

Quando se começam a ver resultados e quanto tempo duram?

Os resultados começam a ser perceptíveis entre o 3º e o 7º dia, no entanto o efeito é máximo aos 15 dias. Nessa altura é aconselhável rever a paciente para ver se é necessário efetuar algum retoque. A duração do efeito oscila entre os 3 e os 6 meses, sendo a reversibilidade absoluta.

A diminuição da força de contração muscular decorrente do tratamento tem um efeito direto por um lado, o rejuvenescimento da expressão e a diminuição das rugas, e um efeito indireto por outro, a prevenção do agravamento das rugas tratadas.

As explicações são da médica e cirurgiã plástica Ana Silva Guerra.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários