"Socorro, vou sair de casa com os miúdos!"

Por vezes uma simples ida ao supermercado pode tornar-se num autêntico pesadelo. Para que as saídas com as crianças sejam o mais tranquilas possível, siga as nossas dicas

1. Antes de sair de casa, certifique-se que as crianças já comeram alguma coisa. Assim, está a evitar à partida uma birra por causa de fome. Quando eles têm fome, ficam mais irritados e vulneráveis. E rapidamente ficam mal humorados e irriquietos. E só por precaução, leve na mala um pacote de bolachas ou uma peça de fruta. Mesmo quando vamos a um restaurante, o serviço pode demorar mais tempo do que o previsto e desta forma eles aguentam mais tempo, calminhos.

2. É sempre boa ideia levar qualquer coisa para eles se entreterem como um bloco de folhas pequeno, uns lápis de cor, um jogo de viagem... Podem fazer milagres numa situação de espera.

3. Se o seu filho ainda faz sestas, é sempre aconselhável sair apenas depois. Uma criança com sono é igual a uma criança birrenta.

4. Envolver as crianças na atividade que a família vai fazer é sempre uma boa dica. Ou seja, quando chegarem ao local onde vão permanecer algumas horas, mostre-o ao seu filho, explique as regras, o que se vai passar, quem vai estar convosco... Desta forma, ele saberá o que o espera e o que é permitido ou não fazer naquele espaço.

5. Se o seu filho começar uma birra num local público, o conselho é afastá-lo para um ambiente mais calmo onde possa falar com ele até resolver as coisas. No caso do casal ter dois filhos com idades idênticas é provável que quando um começar a chorar, o outro acabe por fazer o mesmo. Desta forma, afasta o que ainda está calmo da "turbulência" e evita duas birras.

6. Ás vezes é difícil, mas quando a criança começa a chorar sem saber explicar muito bem porquê o truque é manter a calma e não desatar logo aos gritos. A paciência nestas ocasiões é uma boa aliada.

7. Se depois de todos os truques o seu filho continua a chorar e não há nada que o faça parar, o melhor é assumir que o tempo fora de casa acabou. Mais vale dar por terminado o programa em família, do que ficarem todos stressados e desgastados.

8. Não tenha receio dos olhares reprovadores de quem está à volta, o importante é que resolva a situação da melhor maneira possível.

9. Podemos sempre evitar alguns comportamentos menos desejados sabendo à partida do que eles gostam ou não gostam. Por exemplo, se o seu filho não gosta de filmes em 3D porque lhe provocam medo, não insista. Há-de chegar uma altura em que ele próprio vai pedir para ir.

Comentários