Quando as ações dos pais afetam negativamente o comportamento dos filhos

Acha que é um pai exemplar? O site 'Very Well' fez um artigo onde enumera algumas das coisas que todos os pais fazem e que, de forma inconsciente, podem estar a contribuir para o mau comportamento dos seus filhos.
créditos: Pixabay

Não ser consistente

Imagine isto: está no centro comercial com o seu filho e recusa dar-lhe um brinquedo. Chateado por lhe ter dito que não, ele faz uma birra de todo o tamanho e você – envergonhada com a situação - acaba por lhe dar aquilo que ele quer. Apesar de muitos pais acharem que não estão a fazer nada de mal, a verdade é que este recuo na decisão do progenitor leva a que a criança perceba, claramente, que fazer uma birra é uma forma de conseguir aquilo que deseja, quer seja um doce, um brinquedo ou outra coisa qualquer. Conclusão: por mais que lhe custe, é importante que seja firme nas suas decisões e não ceda facilmente.

 Não cumprir aquilo que diz

Se sempre que o seu filho se porta mal avisa que o põe de castigo e que lhe tira a Playstation mas no final de contas acaba por não levar a avante as ameaças, saiba que está a contribuir para que ele se venha a tornar numa criança mal comportada. O simples facto de o pai ou a mãe não cumprirem aquilo que dizem faz com que a criança não leve o progenitor a sério e não tenha em conta aquilo que lhe é pedido uma vez que nenhuma das suas acções acaba por ter consequências.

Desculpar constantemente a criança

Esta é outras das coisas que muitos pais fazem e que acaba por ter uma influência negativa no comportamento dos mais pequenos. Não é um bom princípio, seja por que razão for, estar sempre a desculpar as traquinices e travessuras que o seu filho apronta. Mesmo que ele se porte mal por estar cansado, por ser pequeno demais ou porque tem fome, é importante que os pais o desculpem quando devem desculpar mas que o chamem à razão quando a situação assim o justifica.

Gritar com o seu filho

Cada família tem as suas regras e métodos no que toca à educação dos mais pequenos. Apesar de alguns pais acharem que gritar com os filhos, quando os estão a repreender, vai surtir mais efeito, a verdade é que isto pode gerar precisamente o contrário: fazendo com que a criança piore o seu comportamento e acabe por fazer com que a relação familiar se deteriore. A opção pode passar por repreender a criança de forma firme mas sem nunca levantar a voz e falar num tom agressivo.

Agredir fisicamente a criança

Muitas pessoas não têm noção dos efeitos negativos que as agressões físicas dos progenitores contra os filhos acabam por ter no seu comportamento e desenvolvimento futuro. Para além de estarem a contribuir para que a criança venha a ter problemas de autoestima e empatia, as agressões infligidas pelos pais acabam por levar a que a criança, na sua vida futura, aprenda a evitar sentir dor em vez de fazer as escolhas certas e aprender a comportar-se devidamente em certas situações.

 Rir do comportamento do filho

Todos sabemos que as crianças, em determinadas idades, adoram fazer gracinhas de forma a serem o centro das atenções. Apesar de algumas destas situações terem efetivamente alguma graça, a verdade é que por vezes acabam por ultrapassar os limites da boa educação e incomodar as outras pessoas. Portanto quando tem noção de que o seu filho, por mais graça que tenha, está comportar-se mal evite rir-se da situação. Se o fizer o mais provável é que ele continue com esse comportamento, desafiando a sua autoridade.

Comentários