Para que servem os irmãos?

Como estimular a cumplicidade e o companheirismo entre seres com personalidades nem sempre coincidentes

Ao contrário dos amigos, os irmãos não se escolhem. Apenas existem para nós desde que nascem.

 

Na grande maioria dos casos, este será o maior vínculo a que ficamos presos toda a vida.

 

À partida, um irmão é o nosso melhor amigo, pelo menos na infância. É com ele que atingimos a maior das cumplicidades e através de quem fazemos novas amizades. Muitas vezes ajudam a desbloquear conversas/brincadeiras com outras crianças no jardim, na praia e até na escola. Uma boa relação de irmãos na infância traduz-se numa amizade profunda na idade adulta.


Partilha

 

Com um ou mais irmãos trabalha-se um dos valores fundamentais da humanidade, a partilha. Não falamos apenas de comida, de brinquedos ou material didático. Falamos de espaço físico e também de afetos. Beijos, abraços ou cócegas passam a ser a dobrar ou a triplicar… Mas há que saber esperar pela sua vez!


Conforto

 

Todos já ouvimos falar de medos na infância como o medo do escuro. Ter um irmão que dorme no mesmo quarto é uma forma de segurança e conforto para os pequenos/grandes medos que a noite traz.


Negociar

 

Se quer muito brincar com um jogo tem de negociar com o irmão a fim de conseguir o que quer. E, atenção, que até na mais tenra idade podem surgir argumentos infalíveis. O ideal é usar as palavras certas, nomeadamente frases como «Eu empresto-te o meu boneco e tu dás-me esse autocolante».


Lutar

 

Sentirem-se frustrados e lidarem com essa frustração pode ser enriquecedor porque ganham a oportunidade de controlarem as emoções. Pode demorar mais ou menos tempo, mas uma zanga entre irmãos, acaba quase sempre por se revelar mais positiva que negativa.

Comentários