Esta mãe cortou os doces à filha e tornou-se sensação nas redes sociais

O sucesso de uma mãe sueca na luta contra o açúcar transformou-a num exemplo de vida e na mais recente sensação das redes sociais.

Esta mãe cortou os doces à filha e tornou-se sensação nas redes sociais
créditos: Facebook Anna Larsson

A fisioterapeuta Anna Larsson, de 38 anos, decidiu cortar radicalmente nos doces que dava à filha depois de perceber que as exigências e mau comportamento da filha não paravam de escalar.

Depois de alguns dias de difícil adaptação, a criança deixou de pedir iogurtes e bolos congelados, chocolates e gomas, e passou a aceitar as opções saudáveis que eram até então motivo de rejeição.

Além disso, a criança passou a dormir melhor e a acordar menos mal-humorada, conta a mãe, que escreveu sobre a mudança radical no Facebook, uma publicação que foi partilhada milhares de vezes em todo o mundo.

Anna Larsson decidiu começar a cortar nas quantidades de açúcar dadas à filha, depois da criança de quatro anos fazer uma birra por lhe terem sido recusados mais doces.

"Ela já não queria comer a comida que fazíamos, tudo o que ela queria eram coisas doces, como iogurtes", recorda em entrevista à BBC. Depois de cortar nos açúcares, "ela começou a acalmar-se e adormecer à noite mais rapidamente, não passava tanto tempo a ver televisão e passou a querer fazer mais atividades", disse ainda a mãe.

Não ao açúcar

Os bebés e as crianças com menos de dois anos não devem comer nenhum alimento com adição de açúcar e as restantes crianças devem ingerir uma quantidade de açúcar equivalente a, no máximo, 100 calorias por dia, de acordo com as mais recentes recomendações da American Heart Association (AHA) publicadas na revista Circulation.

Os primeiros anos de idade são particularmente importantes para o ser humano porque é quando as crianças desenvolvem as suas preferências de sabor. Ou seja, as crianças podem vir a optar por alimentos mais saudáveis se não forem expostas a doces durante essa fase, salienta o referido relatório.

Os açúcares adicionados podem ser incorporados durante o processamento do alimento ou em casa, manualmente, na forma de mel ou colheres de açúcar.

Estes alimentos escondem açúcar (e não é pouco) 

Quanto açúcar devemos consumir segundo a Organização Mundial de Saúde?*

Aos dois anos: Menos de 13 gramas (uma a três colheres de chá)

Aos três anos: Menos de 15 gramas (duas a quatro colheres de chá)

Entre os quatro e os seis anos: Menos de 19 gramas (três a cinco colheres de chá)

Entre os sete e os 10 anos: Menos de 24 gramas (quatro a seis colheres de chá)

Mais de 11 anos: Menos de 30 gramas (cinco a sete colheres de chá)

*Doses diárias

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários