Cinco dicas para conciliar melhor o trabalho com a família

Conciliar a vida familiar com a carreira nem sempre é fácil, mas é possível. Conheça cinco dicas que o podem ajudar

“Encontrar o equilíbrio adequado entre o emprego e a vida quotidiana é um desafio que todos os trabalhadores enfrentam, principalmente, para os pais que possuem colocação no mercado. As famílias são especialmente afetadas”. A conclusão é do Índice para uma Vida Melhor 2014 da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), da qual Portugal é um país membro.

“Um aspeto importante do equilíbrio vida-trabalho é a quantidade de tempo que as pessoas passam no emprego. Os dados sugerem que as longas horas de trabalho podem prejudicar a saúde, pôr a segurança em risco e aumentar o stress”, refere o mesmo estudo, revelando que em Portugal as pessoas trabalham 1.691 horas por ano, um pouco abaixo da média da OCDE (1.765 horas). O tempo dedicado aos cuidados pessoais (alimentação, sono, etc.) e lazer (vida social com amigos e família, ‘hobbies’, jogos, uso de computador e televisão, etc.) ronda em média as 15 horas em Portugal, o que significa que as restantes nove horas do dia são passadas a trabalhar. Conheça estas 10 Ideias para tornar o dia de trabalho mais produtivo.

“É sempre possível” equilibrar trabalho e família

Quando o assunto é conciliação entre a vida familiar e a carreira, esta é uma das principais preocupações que Ana Manta, psicóloga clínica e coordenadora pedagógica da Red Apple - Formação Contínua e Estudos Superiores, sente nos pais com quem trabalha diariamente. “É uma questão que enche de angústia muitos pais hoje em dia. Por um lado querem investir na sua carreira e na sua profissão, por outro querem dar um acompanhamento aos filhos que nem sempre se torna fácil nos dias de hoje. E é aí que entra a famosa “culpa”. E a culpa é um travão à felicidade plena da família”, refere a especialista.

Com ou sem filhos, o equilíbrio perfeito entre trabalho e vida familiar “é sempre possível”, garante, tratando-se de “uma questão de organização e de aprender a viver entre estes dois mundos que completam uma pessoa”. No entanto, avisa Ana Manta, “não é fácil esta conciliação num mundo profissional cada vez mais exigente, mas tem mesmo que ser, a bem da saúde mental de qualquer ser humano”.

Para provar que esta conciliação não é apenas uma teoria, a psicóloga deixa cinco dicas práticas. Leia também estas  7 Dicas para controlar os níveis de stress no trabalho.

Não leve trabalho para casa

Com a palavra “organização” em mente, comece por não levar trabalho para casa. Esta é uma regra de ouro e aplica-se cada vez mais nos dias de hoje sobretudo com os ‘smartphones’ e os ‘tablets’, em que as notificações de novas mensagens na caixa de e-mail profissional surgem como fator de distração no carro, em casa, ou em qualquer outro momento da vida pessoal. Para saber mais sobre este tema leia também o artigo Horário flexível de trabalho: Como pedir?

Faça uma ementa mensal

Outra dica útil passa por fazer uma ementa mensal, em que ficam logo delineadas todas as refeições do mês, bem como planear uma ida às compras no início do mês com uma lista pré-definida em função desta mesma ementa. Além de poupar tempo, poupa também no orçamento familiar. “O tempo que se perde a ir ao supermercado, a correr, no fim do trabalho ou a pensar o que fazer para o jantar, é tempo que se pode aproveitar para a família”, aconselha Ana Manta. Depois das crianças irem dormir, outro truque de organização é “adiantar o que se conseguir do jantar do dia seguinte”. Aprenda a Poupar com as famílias numerosas neste artigo.

Aproveite o fim-de-semana ao máximo

E porque trabalhar a tempo inteiro, das 9h às 18h, é um imperativo para a maioria das pessoas, é importante aproveitar ao máximo o fim-de-semana, completamente desligado das obrigações profissionais. “São dois dias só para a família e é possível fazer programas em casa ou fora de casa. Não é preciso gastar dinheiro para fazer atividades que agradem a todos, como por exemplo uma tarde de cinema no sofá com pipocas, uma festa do pijama entre pais e filhos na sala; uma tarde de jogos de tabuleiro, saídas giras a um jardim ou a um parque”, recomenda Ana Manta, acrescentando: “Levem cadernos e apontem as coisas giras, animais ou plantas que virem por lá”. Conheça 10 Atividades ‘low cost’ para fazer com os seus filhos.

Organize-se enquanto conduz

Mais uma dica para os adultos, que todos os dias gastam em média 42 minutos nas deslocações para o trabalho (de acordo com um estudo encomendado pela Samsung Mobile Europe) é aproveitar este tempo que passam no carro, no metro, no comboio, no autocarro ou no barco. De acordo com o mesmo estudo, 67% dos inquiridos desloca-se em carro próprio, mas os transportes públicos também são uma necessidade para muitos portugueses sendo que 13% se deslocam de comboio, 9% de metro e 18% de autocarro. Para não desperdiçar estes minutos preciosos, Ana Manta deixa algumas dicas: “Se forem sozinhos, aproveitem para pensar e para se organizarem mentalmente, estabelecer objetivos, planos, etc. Já se forem com as crianças, podem aproveitar para fazerem vários jogos de palavras, por exemplo”. Leia também o artigo 10 Dicas para poupar… nos transportes

Delegue tarefas e faça exercício

Outros conselhos para pessoas com uma vida profissional muito exigente, com ou sem filhos, passa também por aprender a delegar tarefas (em casa e no escritório) e confiar na equipa ou nos colegas que o rodeiam, não ser escravo do telemóvel ou do e-mail, evitar ser perfeccionista, tanto no trabalho como em casa, arranjar tempo para fazer exercício físico e meditar, fazer refeições em família e tirar todos os dias de férias a que têm direito por ano. Saiba mais no artigo Ginásios low cost: Como fazer exercício por 15 euros por mês?

Leia também:

"Não é possível o Estado continuar a tomar conta de nós" 

Qual o alojamento ideal para a família 

Mesada ou semanada: como definir o valor?

Cinco tarefas financeiras mais esquecidas

Saldo positivo

artigo do parceiro:

Comentários