Vinte e quatro horas a nadar em Vila Real para conquistar recorde mundial

Inscrições estão a chegar de todo o país

Vila Real vai ser o palco para as “24 horas a nadar”, entre sábado e domingo, um evento que quer entrar para o Guinness e que precisa de juntar 5.029 pessoas para ultrapassar o recorde mundial.

 

A ideia é por o máximo de pessoas a nadar na piscina municipal de Vila Real ao longo de 24 horas, com cada uma a poder fazer apenas uma piscina (25 metros).

 

Para entrar para o Livro dos Recordes Guinness, o “24 horas a nadar” precisa de juntar pelo menos 5.029 pessoas e ultrapassar o recorde italiano que contou com 5.028 participantes.

 

Raquel Marinho, da organização da prova, afirmou hoje que as inscrições estão a chegar de todo o país e, em muitos casos, estas são feitas através de equipas e grupos.

 

O vereador da Câmara de Vila Real José Maria Magalhães enalteceu a importância desportiva do evento e a homenagem que presta aos bons resultados conquistados por jovens locais em competições internacionais, mas também destacou os fins solidários.

 

Os participantes têm que pagar quatro euros de inscrição e doar um bem alimentar, que será entregue à Câmara Amiga, iniciativa do município que apoia famílias carenciadas.

 

Parte do valor das inscrições será doado à causa da Joaninha, uma menina de cinco anos que possui um atraso psicomotor grave.

 

O pai da menina, Luis Lopes, referiu que a doença da filha “não foi diagnosticada” e que é “precisa toda a ajuda possível” para a menina poder fazer os diversos tratamentos a quem tem sido sujeita.


Este evento vai ajudar, segundo Luís Lopes, a dar a conhecer a Joaninha e a sua causa a nível nacional.

 

E porque os banhos públicos gelados estão na moda, a iniciativa quer ainda bater o recorde de “maior número de banhos gelados em 24 horas”.

 

Assim, os participantes, no local de entrada para a piscina onde decorrerá a tentativa de recorde do World Guinness, em vez de passarem no chuveiro, irão receber um banho de água gelada.

 

Desta forma, a organização pretende racionar o consumo de água, proporcionando um banho rápido de balde em vez de uso descontrolado dos chuveiros.

 

A todos será pedido o donativo de um euro para apoiar a Associação Portuguesa de Esclerose Lateral Amiotrófica (APELA).

 

Raquel Marinho referiu ainda que paralelamente à prova vão decorrer inúmeros eventos durante o fim de semana, os quais foram designados de arenas.

 

Na arena World Guinness, para além da prova, serão ainda feitas apresentações de natação sincronizada e dadas aulas de aquafitness, depois na arena saúde decorrerão rastreios gratuitos a todos os participantes.

 

Ao desporto alia-se ainda a gastronomia, que junta os pratos e doces típicos aos vinhos do Douro, bem como o lazer, com esta arena a ser organizada pela Associação Académica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (AAUTAD).

 

Há ainda espaços dedicados ao fitness, aos desportos radicais, às crianças e outro onde se poderão adotar animais que estão ao cuidado da Plataforma Proanimal.

 

A prova é uma iniciativa que junta a Câmara de Vila Real, a Federação Portuguesa de Natação (FPN), a Associação Regional de Natação do Nordeste (ARNN), a Clínica Médica dos Descobrimentos e pelo Instituto Português da Juventude (IPDJ).

 

Por Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários