Valor da semanada dos estudantes portugueses baixou

Pais estão a diminuir o valor da semanada que dão aos filhos em idade escolar.

O valor médio da semanada que os pais disponibilizam aos filhos passou de 23 euros (2012) para 18 euros (2013), ou seja, baixou 5 euros em relação ao ano transato. A conclusão é do Observador Cetelem que num estudo recente analisou o comportamento das famílias portuguesas em época de regresso às aulas.

 

Apesar de a média nacional ser de 18 euros, 23 por cento dos inquiridos admite que coloca à disposição dos seus filhos até 10 euros de semanada, menos um ponto percentual do que em 2012. O valor médio é influenciado pelo número de famílias (5 por cento) que têm filhos com semanada superior a 31 euros. Cinco por cento é um valor residual, mas que acaba por influenciar a média nacional (18 euros), que não é, deste modo, representativa da maioria.

 

Embora se tenha verificado um decréscimo na média nacional, a percentagem de pais que disponibiliza entre 11 e 20 euros registou uma subida. Em 2012, a percentagem de inquiridos que despendia estes valores era de 19 por cento e em 2013 situa-se nos 22 por cento, mais três pontos percentuais.

 

No estudo deste ano verificou-se que um grande número de inquiridos preferiu não responder à questão (41 por cento). No entanto, as intenções de baixar a semanada são generalizadas. Também junto dos inquiridos que ainda estão a estudar, as despesas semanais baixaram de 31 euros para 27 euros. Um valor que tem vindo a diminuir ao longo dos anos (em 2011 situava-se nos 36 euros).

 

No estudo, entende-se por semanada o valor que se disponibiliza, por semana, para consumo durante o período de aulas, nomeadamente despesas com alimentação, papelaria ou outras.

 

Esta análise foi realizada em colaboração com a Nielsen e aplicada, através de um inquérito quantitativo, a 600 indivíduos de Portugal Continental, de ambos os sexos, dos 18 aos 65 anos, entre o período de 26 a 27 Junho. O erro máximo é de +0,4 para um intervalo de confiança de 95 por cento.

artigo do parceiro:

Comentários