Uso frequente de paracetamol na gravidez pode ser prejudicial para o bebé

Estudo norueguês alerta para o risco da utilização prolongada de paracetamol durante a gravidez.

Considerado um dos medicamentos mais seguros para o uso durante a gravidez, o paracetamol ingerido durante este período pode trazer riscos à saúde do bebé, avança o Instituto Norueguês de Saúde Pública.

 

Segundo um estudo coordenado por aquele organismo, a utilização prolongada do medicamento pode aumentar o risco de efeitos adversos no desenvolvimento do bebé, como alterações psicomotoras, de comportamento e temperamento.

 

Cerca de 300 pares de irmãos participaram do estudo, resultado de uma parceria entre a Universidade de Oslo, do Instituto Norueguês de Saúde Pública e do Hospital Sick Children, do Canadá.

 

Os investigadores compararam crianças que foram expostas ao paracetamol durante a gravidez com irmãos do mesmo sexo, que não foram expostos. Desta forma, foi possível controlar fatores genéticos, ambientais, infeções, febre, uso de outros medicamentos na gestação, além do consumo de tabaco e álcool pela mãe.

 

O estudo mostrou que as crianças expostas ao medicamento por mais de 28 dias da gravidez apresentaram capacidades motoras e de comunicação mais deficientes, além de mais problemas comportamentais se comparadas aos irmãos não expostos.

 

Segundo os autores do estudo, apesar de o uso a longo prazo de paracetamol durante a gravidez ser prejudicial para a criança, a utilização ocasional pode não prejudicar o feto.

 

 

Maria João Pratt

.

.

artigo do parceiro:

Comentários