Tamanho dos testículos pode indicar aptidão masculina para o acompanhamento dos filhos

Homens com testículos menores mais propensos a assumir o cuidados com os filhos.

A aptidão dos homens para tomar conta dos filhos pode esta refletida no tamanho dos seus testículos, de acordo com um estudo realizado por cientistas norte-americanos.

 

Os investigadores descobriram que os homens com testículos menores eram mais propensos a assumir o controlo do banho das crianças, as visitas ao médico, a levantarem-se durante a noite para reconfortar os filhos e outros trabalhos de parentalidade do que outros homens com testículos maiores.

 

A mesma história foi confirmada por exames cerebrais que mostraram que homens com gónadas menores reagiam mais fortemente a fotografias dos seus próprios filhos do que os homens com as gónadas maiores.

 

Os resultados são a mais forte evidência atual de que as variações na anatomia masculina refletem estratégias evolutivas concorrentes que podem ser estendidas ao acasalamento tanto quanto possível versus a investir mais na parentalidade. Ambas são formas eficazes para maximizar as possibilidades de um macho ter filhos que continuem a sua linhagem.

 

Jennifer Mascaro, responsável pelo estudo e antropóloga da Universidade de Emory, em Atlanta, disse que, embora o seu trabalho tenha revelado uma correlação entre o tamanho dos testículos e a parentalidade, não aponta nada sobre as causas. A investigadora suspeita de que o tamanho dos testículos de um homem influencia a forma como ele se envolve na educação dos filhos. Mas o inverso também pode ser verdadeiro: entregar-se aos cuidados aos filhos pode fazer com que os testículos de um homem encolham.

 

«Não estamos a dizer que se pode determinar a aptidão parental de um homem com base na sua biologia individual, mas tal sugere que alguns homens podem ser impelidos a participar mais na educação dos filhos do que outros», declarou a investigadora ao jornal britânico The Guardian.

Comentários