Quadrigémeos de mãe sexagenária já tiveram alta

Três meses depois do nascimento, os quadrigémeos prematuros, filhos de uma alemã com 65 anos, deixaram o hospital na quinta-feira e já estão em casa.

Annegret Raunigk (terceira em baixo à esquerda) num programa de televisão com a família em 2005

créditos: AFP PHOTO / DPA / JOERG CARSTENSEN

"Quando bebés prematuros se aproximam da data do parto inicialmente prevista, é hora de deixar o hospital", declarou o chefe de neonatologia do Hospital de Caridade de Berlim, Christoph Bührer, afirmando que "muitas vezes os bebés voltam para casa mesmp antes desta data".

Os três meninos, Dries, Fjonn e Bence, bem como a irmã Neeta, pesavam apenas entre 655 e 960 gramas quando nasceram a 19 de maio. Atualmente, os quatro pesam mais do que 2,5 kg cada.

A mãe, Annegret Raunigk, recorreu à fertilização in vitro na Ucrânia e deu à luz a quadrigémeos por cesariana depois de apenas 26 semanas de gravidez.

Segundo o professor Wolfgang Heinrich, diretor de obstetrícia do hospital, é um "caso único no mundo".

Esta professora aposentada já era mãe de treze filhos de cinco pais diferentes e tem sete netos.

O canal de televisão RTL acompanhou a gravidez em exclusivo, obtendo entrevistas exclusivas e imagens da mãe e bebés. O montante do contrato assinado com a empresa não foi divulgado.

Este caso extraordinário provocou um intenso debate na Alemanha, onde muitas pessoas censuraram a falta de responsabilidade da mãe.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários