Programa «Estou Aqui!» em marcha, com novidades

Pelo segundo ano consecutivo, a PSP distribui pulseiras «Estou Aqui!» para facilitar a localização de crianças desaparecidas no período do verão.

A Polícia de Segurança Pública (PSP), a Fundação Portugal Telecom (Fundação PT), a RFM e a Direção-Geral de Infraestruturas e Equipamentos (DGIE) acabam de lançar a segunda edição do programa Estou Aqui! que este ano vai para o ar com um sentido mais apurado das necessidades, já testadas na primeira edição, que encarregados de educação e responsáveis das entidades escolares sentem no acompanhamento das crianças na época do verão.

 

A grande novidade da nova edição do Estou Aqui! é a possibilidade de inscrição dirigida a grupos de escolas, campos de férias, instituições, entre outros. Assim, paralelamente à possibilidade de os pais e educadores poderem aderir ao programa Estou Aqui!, existe agora a faculdade de os diversos organismos solicitarem na esquadra mais próxima um número de pulseiras correspondente ao número de crianças/alunos que pretendem integrar no programa Estou Aqui! para os eventos escolares que terão em curso nesta conclusão de ano letivo.

 

Vocacionada para crianças preferencialmente a partir dos 2 anos de idade, a pulseira Estou Aqui! é gratuita e pode ser solicitada nas esquadras da PSP a partir de hoje, 17 de junho, e em eventos promovidos pelos parceiros, a Fundação PT, a RFM ou a DGIE.

 

O programa Estou Aqui! consiste numa parceria entre a PSP, a Fundação PT, a RFM e a DGIE que procura facilitar e agilizar a localização dos educadores e/ou pais de crianças perdidas no período de verão, mediante a distribuição gratuita de pulseiras Estou Aqui!.

 

Lançado em 2012, o programa Estou Aqui! é pioneiro em Portugal e está este ano mais maduro, em linha com as principais necessidades identificadas ao longo do verão passado e respeitando alguns dos desejos e sugestões deixados por pais e educadores. O Estou Aqui! é uma ajuda suplementar e não deve nem pode substituir-se à responsabilidade que os pais e encarregados de educação deverão naturalmente assumir.

 

 

Maria João Pratt

artigo do parceiro:

Comentários