Porque é que há tantas imagens cor-de-rosa no Facebook?

A "Princesa Leonor" morreu aos 5 anos vítima de um tumor raro

A resposta é só uma: era a cor preferida da "Princesa Leonor", uma criança de cinco anos com um tumor raro, que era uma das caras mais emblemáticas na luta contra o cancro em Portugal. A menina morreu na quarta-feira, vítima da doença.


Numa onda de solidariedade, milhares de utilizadores portugueses do Facebook decidiram substituir a foto de perfil por um quadrado cor-de-rosa. Nas redes sociais, as mensagens de apoio à família e de memória em nome da “Princesa Leonor”, como foi carinhosamente apelidada, multiplicam-se.


A pequena Leonor lutava contra um tumor de Wilms bilateral em estado avançado, com metástases nos pulmões. Este tipo de tumor surge nos rins e é em crianças com anomalias genéticas que é mais frequente. É confirmado principalmente em crianças com menos de cinco anos. "Nonô" soube que tinha cancro aos quatro, depois de ter ido ao hospital com dores de barriga intensas.


A doença foi-lhe diagnosticada em junho de 2013. A menina encontrava-se na Alemanha a fazer tratamentos. Em dezembro foi organizado um concerto para angariar fundos para os tratamentos. Em maio deste ano, foi lançado o livro "Aceita e Sorri", de Inês de Santar e Isabel Branco (Chá das Cinco, maio de 2014), onde a história de luta contra a doença de Vanessa Coutinho e da filha é narrada ao pormenor. 


A família criou uma página no Facebook - Os Aprendizes da Nonô - na qual ia relatando os acontecimentos na vida da menina que reúne, hoje, quase 150 mil "Gostos".

 

Para esta sexta-feira, foi lançado um apelo no Facebook para se criar uma corrente humana às 22h00, no Jardim da Estrela, em Lisboa, de homenagem a Leonor. A iniciativa acabou por se tornar nacional e estão já a ser organizadas correntes em todo o país, em que se pede que quem apareça traga uma peça de roupa cor-de-rosa.

 

Por SAPO Crescer

 

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários