Planeta Tangerina eleita a melhor editora europeia de livros para a infância

A editora portuguesa ganhou um prémio recém-criado pela Feira do Livro Infantil de Bolonha.

A editora portuguesa Planeta Tangerina foi eleita a melhor da Europa na literatura para a infância e juventude, recebendo um prémio atribuído na Feira do Livro Infantil de Bolonha, em Itália, foi anunciado terça-feira à noite.

 

Para assinalar 50 anos de existência, a organização da feira decidiu criar um prémio para as melhores e mais inovadoras editoras de livros para os mais novos, nos diferentes continentes do mundo. Na Europa, a Planeta Tangerina foi eleita a melhor, numa categoria na qual estavam também nomeadas a editora francesa Editions Thierry Magnier, a checa Baobab, a italiana Edizioni EL e a alemã Beltz & Geldberg.

 

Em declarações à agência Lusa, a escritora Isabel Minhós Martins, uma das fundadoras da editora e autora de grande parte das histórias publicadas, não escondeu o contentamento pela conquista do prémio, por significar um reconhecimento dos outros editores presentes na feira.

 

Com este prémio não monetário - intitulado BOP - foram ainda distinguidas editoras da América do Norte, América Central e do Sul, África, Ásia e Oceania.

 

De acordo com a organização, o prémio pretende homenagear as editoras que “estão na linha da frente da inovação na literatura para a infância” e que se destacaram pelas escolhas editoriais ao longo do ano anterior à feira.

 

A feira de Bolonha é considerada o mais importante espaço internacional de divulgação e negócio na área do livro infantil e juvenil e a equipa da Planeta Tangerina, que inclui Isabel Minhós Martins e os ilustradores Bernardo Carvalho, Yara Kono e Madalena Matoso, tem marcado presença todos os anos.

 

Para o reconhecimento de hoje poderá ter contribuído também o facto de Portugal ter sido em 2012 o país convidado da feira, dando mais visibilidade externa ao mercado nacional.

 

Este ano a editora portuguesa conquistou ainda uma menção especial nos prémios editoriais da feira com o livro A Ilha, de João Gomes de Abreu e Yara Kono, na categoria de primeira obra.

 

A Planeta Tangerina tem mais de dez anos e o projecto editorial foca-se sobretudo no álbum para crianças, mas cuja leitura pode ser partilhada com os adultos.

 

Na página oficial na Internet a editora apresenta-se assim: «Temos como leitores não apenas as crianças, mas todos os pais e adultos que gostam de álbuns ilustrados e da sua forma única de contar histórias».

 

Com o catálogo já traduzido, por exemplo, para inglês, francês, italiano e coreano, este ano levaram para a feira alguns títulos novos em carteira, como Tantos Animais e outras Lengalengas de Contar, de Manuela Costa Neves e Yara Kono, e Irmão Lobo, de Carla Maia de Almeida e António Jorge Gonçalves.

 

A editora esteve também nomeada, pela segunda vez consecutiva, para o prémio sueco Astrid Lindgren Memorial Award (ALMA), no valor de 500 mil euros, que foi atribuído à ilustradora e escritora argentina Marisol Misenta (Isol, como assina os seus livros).

 

LUSA

artigo do parceiro:

Comentários