Pegar no bebé aumenta o risco de tendinite no polegar

Para prevenir, procure relaxar as mãos

Pegar mal no bebé pode aumentar o risco de um tipo de tendinite no polegar cada vez mais frequente. Chama-se Síndrome de De Quervain.

 

As gerações mais antigas eram caracterizadas por ser constituídas por mulheres e homens que trabalhavam mais com as mãos, quer na lida doméstica, quer no trabalho fora de casa. A vida moderna trouxe mais comodismo, mais instrumentos auxiliares e logo o corpo aprendeu a comportar-se de forma diferente.

 

A tendinite estenosante de De Quervain é a constrição dolorosa da baínha comum dos tendões dos músculos abdutor longo e extensor curto do polegar, no chamado primeiro compartimento dorsal. O processo inflamatório da baínha causa a diminuição do seu espaço, comprimindo os tendões e provocando dor.

 

Segundo a fisioterapeuta Sammy Margo, citada pelo Daily Mail, um estilo de vida sedentário significa que, de um modo geral, as mulheres e os homens estão mais fracos fisicamente do que costumavam estar.

 

A Síndrome de De Quervain atinge os tendões do dedo que vão em direção ao pulso. Isto é provocado pelo ação frequente deste tendão quando se tem um bebé.

“Estatisticamente, em média, uma nova mãe pega no seu bebé entre 25 a 30 vezes por dia”, explica a mesma especialista.

 

O tratamento para a doença de De Quervain consiste no uso de antinflamatórios e no repouso da articulação envolvida.

 

Conselhos

 

Para prevenir, procure relaxar as mãos. Alterne o uso do polegar direito com o esquerdo.

 

Sente-se confortavelmente, com os punhos sempre no mesmo nível das teclas quando, por exemplo, estiver ao computador. Procure usar canetas e lápis que sejam bem confortáveis nas mãos, para não forçar o polegar.

 

Para pegar no bebé, tenha cuidado para não forçar o polegar.

 

Por SAPO Saúde

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários