Parecer da Ordem dos Médicos desaconselha partos na água

Hospital de Setúbal é a única unidade de saúde pública da Península Ibérica que oferece a prática

A Ordem dos Médicos emitiu um parecer onde não recomenda a continuidade desta prática, de acordo com o Diário de Notícias. A insitutição que representa todos os médicos portugueses não recomenda os partos na água, alegando que não há benefícios para o bebé e que existe “alguma preocupação de dano grave”, avança o Diário de Notícias.

 

O parecer da Ordem dos Médicos foi emitido após um pedido feito por um obstetra do Hospital de Setúbal contra os partos na água e sublinha a falta de base científica e de ensaios clínicos que assegurem a segurança e benefícios do parto subaquático.

 

Para a Ordem esta prática deve ser considerada como um “procedimento experimental” e apenas deve ser realizada no âmbito de “ensaios clínicos, adequadamente concebidos e após consentimento das parturientes”.

 

O Hospital de Setúbal é a única unidade de saúde pública da Península Ibérica que oferece a prática de parto subaquático, há quatro anos, e pediu orientações à Direção-Geral de Saúde Pública.

 

Esta parecer é contestado pelo hospital que realiza cerca de 135 partos do género por ano.

 

Já o bastonário José Manuel Silva explica, à mesma publicação, que “o homem é um animal terrestre e não aquático. Tendo Portugal uma das mais baixas taxas de mortalidade materno-infantil do mundo, não precisamos de andar a inventar nada”.

 

Por SAPO Crescer

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários