Novo portal mostra as escolas em números

O Ministério da Educação lançou esta terça-feira um portal eletrónico em que apresenta indicadores do desempenho escolar por estabelecimento de ensino, com dados que permitem aferir se há desfasamentos entre as notas internas e de exames e a evolução dos alunos.
créditos: MARIO CRUZ / LUSA

De acordo com o ministro da tutela, Nuno Crato, a nova ferramenta - Portal InfoEscolas - serve para que os diretores escolares e os professores possam “acompanhar melhor os alunos”, avaliando os seus percursos, mas também para que os pais e os jovens possam “intervir na mais na escola”, comparando os resultados com os apresentados por outros estabelecimentos de ensino, questionando se há desfasamento nas notas e porquê.

“Os dados estão neste momento construídos com critérios que são mais claros. Mais informação é mais poder para intervir e melhorar”, defendeu Nuno Crato, em Lisboa, durante a apresentação do Portal InfoEscolas: Estatísticas do Ensino Secundário.

O ministro sublinhou que há menos alunos no sistema de ensino e que os dados estatísticos disponíveis permitem fazer previsões sobre o que vai acontecer com as migrações de umas regiões para outras e com a quebra da natalidade.

“Isso permite-nos adaptar melhor”, afirmou Nuno Crato, acrescentando que os dados agora disponibilizados permitem também avaliar a evolução dos alunos em determinada escola desde o 9.º ano até terminarem o ensino secundário e o trabalho desenvolvido pela escola.

Esta análise pode ser feita às disciplinas de Português e Matemática, uma vez que são aquelas em que os alunos são chamados a exame no 9.º ano, explicou o subdiretor-geral da Direção de Estatística do Ministério da Educação, João Batista.

De acordo com o mesmo responsável, o portal inclui os dados de escolas públicas e privadas de Portugal Continental e, no que diz respeito à análise das notas internas e externas (comparação), só estão incluídos os cursos científico-humanísticos por serem aqueles em que todos os alunos fazem exame.

Os quadros permitem ver como é que o aluno entrou na escola e como é que saiu, disse João Batista, sublinhando que algumas escolas podem encontrar-se a meio da tabela nos resultados dos exames, mas terem uma elevada taxa de progressão se tiverem recebido alunos muito abaixo da média e melhorarem a sua prestação.

Comentários