Novo Ano: Reforce as defesas do seu filho com peixe

Encontrar o equilíbrio entre aquilo que é estritamente necessário e o que é dispensável, às vezes não é fácil.

Numa altura de contenção temos obrigatoriamente de fazer escolhas relativamente às despesas do dia-a-dia. Mas encontrar o equilíbrio entre aquilo que é estritamente necessário e o que é dispensável, às vezes não é fácil. E principalmente porque não dispomos da informação necessária para fazer essas escolhas de forma acertada. Não é possível substituir nutrientes, ou concentrarmo-nos apenas numa das refeições diárias. Todas são importantes sendo necessário variar e diversificar. Este vai ser um ano difícil a vários níveis pelo que temos de ter uma atenção redobrada. E se não temos o mesmo dinheiro para tomar conta de nós, então a palavra de ordem é “prevenção”. E tudo começa na nossa alimentação. Se ela for cuidada e inteligente, o ano passará sem problemas de maior e com menos preocupações.

A nossa saúde terá de estar entre os nossos cuidados primários e para isso temos de apostar num sistema imunitário bem desenvolvido, nomeadamente o das nossas crianças. A aposta numa alimentação correcta à base de nutrientes, vitaminas e minerais é o que nos ajuda a reforçar o nosso sistema imunitário, de forma a nos mantermos saudáveis e evitarmos, principalmente, as doenças sazonais. As crianças são as mais expostas às gripes, infeções e viroses sazonais, pelo que deverão ingerir alimentos à base de antioxidantes. Sabia, por exemplo, que o peixe é rico num antioxidante fortíssimo? E é por isso essencial para fortalecer o sistema imunitário dos seus filhos. É um constituinte de enzimas de protecção e ajuda na formação do enzima glutationa peroxidase, que é uma substância essencial no mecanismo de defesa. O selénio é encontrado naturalmente nos alimentos de origem animal como peixe, carne, e produtos lácteos, em alguns cereais e frutos oleaginosos.

Mas o peixe contém substancialmente maiores concentrações de selénio do que a carne e é considerado uma das maiores fontes dietéticas deste nutriente. Por este motivo é de extrema importância introduzir o peixe na alimentação infantil, favorecendo assim um excelente desenvolvimento e manutenção do sistema imunitário. Quando existe um deficit na ingestão de selénio é observada uma maior produção de substâncias pro-inflamatórias pelo organismo. Assim o sistema imunitário fica sobrecarregado e mais debilitado. Por esta razão, não descure a alimentação dos mais novos, diversifique e varie. A Associação Portuguesa de Dietistas recomenda uma ingestão de peixe no mínimo duas vezes por semana. É preciso inovar e criar menus atraentes para os mais novos. Comer peixe não tem de ser uma chatice. Hoje em dia há várias formas e mais saudáveis de os satisfazer. Um empadão, um pudim, com massa, em formato panado… As opções são mais que muitas. Ano Novo, vida nova...mais saudável!

 

por Mónica Pitta Grós

Comentários