No Douro o ano escolar arranca com a vindima

O ano escolar na Escola Profissional da Régua arrancou com a vindima que é feita por alunos que iniciam, assim, a aprendizagem do trabalho que é feito no Douro, desde a vinha até ao engarrafamento do vinho.
créditos: LUSA

Está inserida na Região Demarcada do Douro e, por isso, a aposta da Escola Profissional do Rodo, no concelho de Peso da Régua, vai para cursos que deem resposta às necessidades deste território, como o de viticultura e enologia.

As aulas começaram na segunda-feira. Durante a semana realizou-se a vindima que juntou alunos dos vários cursos lecionados neste estabelecimento de ensino.

Por isso, ao mesmo tempo que pegavam no balde e na tesoura, algumas vindimadoras foram para a vinha de salto alto, malas ao ombro, colares e pulseiras.

Sandrina Oliveira, aluna do 9.º ano, vive numa aldeia da Régua e diz que já está habituada a fazer a vindima, é verdade que “não com esta roupa” e de “salto alto”, mas mesmo assim disse que o “trabalho não custou nada”.

Natacha Costa, 16 anos, já estava mais preparada para a tarefa do dia. Está no primeiro ano do curso de viticultura, o equivalente ao 10.º ano, porque está “numa região própria do vinho” e porque quer seguir esta área no futuro.

Os seus planos passam por tirar uma licenciatura e arranjar um emprego no Douro. Pedro Almeida, 18 anos, veio de Vila Nova de Foz Côa estudar na Régua e, apesar de ser de uma região produtora de vinho, esta foi a sua primeira experiência na vindima.

“Para mim é novidade porque nunca trabalhei nisto e estou a gostar. É um trabalho um pouco duro mas faz-se. Escolhi este curso porque acho que tem saída e é uma área que quero seguir, quero tirar a licenciatura de enologia”, salientou.

Comentários