Muitas mães dão alimentos sólidos aos bebés antes dos quatro meses de idade

Quatro em cada dez novas mães dão alimentos sólidos aos bebés antes dos quarto meses de idade, indica um novo estudo do Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças, dos Estados Unidos da América.

Sociedades médicas, onde se inclui a Academia Americana de Pediatria, não aconselham a introdução de alimentos sólidos na dieta dos bebés antes dos seis meses de idade.

 

Em parte porque a introdução antes de tempo de alimentos sólidos tem sido associada à obesidade e a outras doenças crónicas e também porque os especialistas em saúde pública consideram ser mais benéfica a amamentação exclusiva até aos seis meses.

 

«A introdução de alimentos sólidos de forma precoce significa que o bebé recebe menos leite materno na infância e tal diminui a capacidade de obter benefícios ótimos, como a proteção contra infeções», afirma Kelley Scanlon, do Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças, em Atlanta (EUA), e uma das autoras do estudo.

 

Kelley Scanlon, em declarações à agência Reuters, disse que «tem havido menos investigação sobre o desenvolvimento da capacidade de mastigar e engolir alimentos sólidos sem se engasgarem, o que é uma consideração importante. Os bebés devem ser capazes de sentar e comer de uma colher. Às vezes, se ainda não adquiriram essa capacidade, os bebés poderão não abrir a boca… ou podem até cuspir a comida».

 

O estudo envolveu 1344 novas mães que preencheram um questionário mensal sobre o que os seus bebés tinham comido na semana anterior. Os inquéritos foram conduzidos entre 2005 e 2007, quando a Academia Americana de Pediatria emitiu uma recomendação para a não introdução de alimentos sólidos antes dos quatro meses de idade.

 

Um pouco mais de 40 por cento das mães respondeu que os seus bebés comiam alimentos sólidos, como cereais, papas e purés antes dessa idade. Estas mães disseram que consideravam que os seus filhos tinham idade suficiente para comer alimentos sólidos, que os filhos aparentavam ter fome ou que tinham sido aconselhados a fazê-lo por médicos ou enfermeiros.

 

«Parece não existir uma comunicação clara das recomendações ou dos potenciais impactos na saúde com a introdução precoce de alimentos sólidos», declarou Kelly Scanlon à Reuters.

 

Nove por cento das inquiridas deu alimentos sólidos ao seu bebé antes de estes fazerem um mês de vida, de acordo com os resultados publicados dia 25 na revista Pediatrics.


As mães que relataram amamentar exclusivamente durante os primeiros meses do bebé, eram menos propensas a introduzirem alimentos sólidos precocemente do que as mães que alimentavam os bebés com leites de substituição, diz ainda o estudo.  

 

 

Maria João Pratt

artigo do parceiro:

Comentários