MTV mostra sexo a crianças de 14 anos

Atuação de Miley Cyrus e Roberth Thicke abre polémica nos EUA.

Após a emissão, em direto, da gala de entrega de prémios de música do canal de televisão MTV – os MTV Video Music Awards – no passado domingo, o Conselho de Pais para a Televisão (PTC), dos Estados Unidos da América, organização não governamental de controlo dos meios de comunicação social, emitiu uma declaração a lamentar o comportamento que algumas estrelas da música mundial mostraram.

 

«A MTV, mais uma vez, conseguiu comercializar mensagens sexualmente carregadas para as crianças recorrendo a ex-estrelas infantis e publicidade a preservativos, ao mesmo tempo que falsamente classificou este programa como adequado para crianças de 14 anos. Isso é inaceitável», declarou Dan Isett, diretor de relações públicas do PTC.

 

«Uma coisa é absolutamente clara: a MTV comercializou material apenas para adultos a crianças enquanto falsamente manipulou a classificação do conteúdo para fazer com que os pais pensassem que o programa era seguro para os seus filhos», continuou o representante da PTC.

 

«A MTV continua a explorar sexualmente mulheres jovens através da promoção de atos que incorporam danças sexualmente sugestivas (twerking) num biquíni cor de pele. Como é que esta imagem da ex-estrela infantil Miley Cyrus (cuja personagem mais conhecida é a Hannah Montana) é apropriada para crianças de 14 anos?», pode ler-se na declaração.

 

«Como é apropriado para crianças ver a cantora Lady Gaga despir-se até ficar de biquíni no ato de abertura? Como é apropriado para crianças de 14 anos ver um anúncio a preservativos e uma promoção de um filme classificado como não aconselhável a menores de 17 anos no primeiro intervalo comercial?», questiona Dan Isett.

 

«Este conteúdo não iria provavelmente ser transmitido se fizesse parte de um canal de sinal aberto. Contudo, a MTV continua a esticar os limites porque pertence a uma rede por cabo. Mas tal não significa que as decisões da MTV não tenham consequências, especialmente para os milhões de crianças que foram alvo da MTV», salienta o diretor de relações públicas da PTC.

 

«O PTC pede que o Congresso aprove a Lei de Liberdade do Consumidor de Televisão, que irá dar aos pais e aos consumidores uma solução real para futuras galas de entrega de prémios da MTV – a capacidade de escolher e pagar redes de cabo que querem contra ter de pagar por redes que não querem. Após a exibição na noite passada, da MTV, está hora de passar o controlo para os consumidores», acrescentou Dan Isett.

 

Paul Porte, membro do conselho consultivo do PTC acrescentou: «A atuação de Miley Cyrus e Robin Thicke simplesmente substituiu talento por sexo. A Viacom (empresa de comunicação social proprietária do canal MTV) tem um conjunto de padrões empresariais de transmissão das empresas que foram obviamente quebrados neste caso apenas para ganho financeiro. Embora o desempenho tenha sido chocante para o público, a MTV aprovou durante o ensaio geral antes da transmissão. Deveriam rolar cabeças na MTV.»

artigo do parceiro:

Comentários