Misturas de cereais para crianças têm excesso de açúcar

Relatório indica que uma das piores misturas de cereais é Kellogg's Honey Smacks, também vendido em Portugal

As crianças norte-americanas estão a consumir mais de 4,5 kgs de açúcar anualmente do que o recomendado, caso comam uma tigela de cereais todos os dias. A informação é divulgada por um estudo publicado esta quinta-feira que alerta que tal prática contribui para a obesidade e outros problemas de saúde. A mesma investigação salienta que os fabricantes de cereais e os reguladores estão a fazer pouco para resolver o questão.


O Environmental Working Group (EWG), a associação sem fins lucrativos com sede em Washington responsável pelo estudo, frisa que o relatório abrange mais de 1.500 tipos de cereais, incluindo 181 comercializados para crianças.


 

O grupo indica que uma das piores misturas de cereais é o Kellogg's Honey Smacks, com 56 por cento de açúcar, também vendido em Portugal.

 

De acordo com a análise da EWG, o teor de açúcar dos cereais permanecem, em média, 29 por cento acima do recomendado. O mesmo estudo avança que, em média, os cereais infantis têm mais 40 por cento de açúcares do que os cereais para adultos.

 

"Obviamente nós sabemos que os cereais têm muito açúcar", comenta Dawn Undurraga, consultor da EWG e co-autor do relatório. "Mas os fabricantes podem fazer mais, assim como a Food and Drug Administration (FDA) para proteger as crianças".

 

Ainda assim, fonte oficial da Kellogg's adianta que cortou 20 a 30 por cento do açucar nos cereais ao longo dos últimos anos e acusa a EWG de ignorar os benefícios proporcionados por um pequeno-almoço de cereais.


Por SAPO Crescer

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários